Google Chrome está mais rápido graças às novidades da versão 89

Rui Bacelar
Comentar

O Google Chrome é o browser mais popular do mundo com milhões de utilizadores diários através de dispositivos móveis e computadores. Ainda assim, é tido como um dos navegadores mais pesados, com pior gestão da memória RAM e velocidade.

Reconhecendo estas imperfeições no seu produto, a empresa responsável - a Google - enceta agora várias mudanças no seu Chrome com vista a torna-lo não só mais rápido, mas também menos exigente. As novidades já estão a chegar à nova versão.

Chegou o Google Chrome 89!

As novidades estão a ser distribuídas para a versão Android, Windows (PC) e MacOS da Apple, chegando também ao iOS (iPhone e iPad). Temos diversas otimizações na gestão de recursos para que o rendimento seja efetivamente melhor na versão 89.

Foi através do seu blog oficial que a empresa revelou não só as novidades, mas também uma amostra do novo comportamento do seu navegador. A publicação no Chromium mostra-nos as melhorias de desempenho e velocidade já postas em prática.

Em destaque estão as "Abas congeladas". Na prática, quando um separador deixar de responder o utilizador poderá continuar a ver o mesmo, podendo até fazer scroll na página e ampliar ou afastar, gerando-se algo similar a uma captura de ecrã.

Não obstante, o ficheiro criado será mais leve que uma captura de ecrã e mais interativo para que se possa continuar a usufruir do conteúdo mesmo quando o separador congelar. O vídeo é particularmente sucinto na explicação.

Há novas "abas" ou separadores congelados no Google Chrome

Este é um dos exemplos das melhorias introduzidas, com o Google Chrome para Android a estar até 13% mais rápido no arranque e abertura de páginas web. As melhorias também já estão a chegar aos utilizadores desta plataforma.

Ao mesmo tempo, existem outros incrementos de rapidez que asseguram uma melhor experiência de utilização, com a Google a apontar uma redução significativa do número de "crashes" ou bloqueios. Soma-se um menor tempo de carregamento das páginas na ordem dos 2% e um tempo de arranque inicial até 7,5% mais rápido.

Os smartphones de topo receberão o Google Chrome a 64 bits

Google Chrome

A Google confirmou ainda que os telefones de alta gama receberão a possibilidade de usar o Chrome a 64 bits. Isto exigirá mais dos recursos do telefone, necessitando de pelo menos 8 GB ou mais de memória RAM, bem como o Android 10 ou superior.

Em troca, o processamento a 64 bits tornará o navegador consideravelmente mais rápido, fluído e estável. É um trunfo reservado para os telefones mais caros, explorando já as suas capacidades avançadas.

Por fim, damos conta da implementação do sistema PartitionAlloc que permite gerir de modo mais eficiente o consumo de memória RAM pelo navegador. De acordo com a empresa, o Chrome usará até menos 100 mb de memória RAM por separador.

As melhorias disponíveis no Chromium chegarão assim ao Chrome 89, bem como ao navegador Brave.

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. É na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e na 4gnews a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.