Gmail: Google lançou uma alteração que nunca verás mas que ficarás eternamente agradecido

Filipe Alves
Comentar

O Gmail da Google é um dos serviços de email mais utilizados no planeta e por boas razões. O Gmail consegue detetar Spam como nenhuma outra plataforma e, ao que parece, isso não chega para que a Google fique feliz.

Na nova atualização, a Google revelou que o Gmail terá a capacidade de detetar ficheiros Office que estão carregados de malware. O objetivo é fazer que esses ficheiros nunca cheguem ao seus destinatário.

Malware via ficheiros Office representam 58% dos malwares vindos no Gmail

Certamente já ouviste a informação para nunca abrires um ficheiro de Office de um email que não conheces. Isto porque código é posto lá dentro que pode afetar o teu computador ou as informações que lá tens guardadas.

Assim sendo, a Google tem vindo a testar a nova ferramenta que se baseia num algoritmo que rastreia os ficheiros de Office de forma a detetar malwares.

Google já baixou 10% nos malwares vindos destes ficheiros

Google Gmail

A Google revelou que desde que iniciou este novo algoritmo, a empresa já conseguiu reduzir em 10% os emails com ficheiros maliciosos. Certamente nunca reparaste porque nunca chegaram a bater na tua caixa de email.

Esta é mais uma medida importante para o combate ao malware e vírus que tem vindo há muitos anos a afetar os computadores dos utilizadores. Aproveita para conhecer os melhores comandos para a Assistente Google em português.

Numa altura em que "informação é dinheiro", o cuidado nunca é pouco. Assim sendo, até que este problema seja erradicado de vez, que ainda pode demorar, continuamos a aconselhar para nunca abrires um ficheiro anexado a um email que não te é conhecido. Esta é a melhor forma de prevenção.

Editores 4gnews recomendam:

Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.