Samsung Galaxy S8
O novo Samsung Galaxy S8

Já lá vão algumas semanas desde a apresentação do Samsung Galaxy S8 e S8+, mas as noticias sobre o mesmo não abrandam. Tal como antes da oficialização destes terminais, também após a mesma há muito que falar sobre estes flagships. E o tema de hoje põe frente a frente os novos processadores que estrearam com estes terminais.

Falo do Exynos 8895, desenvolvido pela Samsung, e do Snapdragon 835, processador topo de gama da Qualcomm. Enquanto que o primeiro tem a função de equipar o Galaxy S8 na sua versão internacional, o segundo integra as versões dedicadas aos mercados norte-americano e chinês e há algumas diferenças entre eles.

Ver ainda: Samsung Galaxy J5: Surgem agora as primeiras fotos

   

Apesar de ambos beneficiarem da nova arquitetura de 10nm e se serem processadores de oito núcleos (octa-core) com frequências semelhantes, o consumo de energia destes parecem não corresponder. Focando-se a Phone Arena no Galaxy S8, com uma bateria de 3000 mAh (mesma capacidade que o seu antecessor Galaxy S7), procurou chegar à conclusão de qual chipset seria o mais eficiente. E a resposta parece não surpreender.
Os resultados demonstram, principalmente, que estes terminais não são de maneira nenhuma smartphones com baterias para durar dois dias, como aliás compara a fonte aos gama-média que temos visto no mercado, que trazem ecrãs menos exigentes (Full HD normalmente, contra os ecrãs Quad HD do Galaxy S8) e com baterias de maior capacidade.

Assim, o Samsung Galaxy S8 com o processador Snapdragon 835 aguentou-se por 7 horas e 30 minutos nos testes da Phone Arena, enquanto que a versão internacional com o Exynos 8895 durou 8 horas e 22 minutos. A diferença de quase uma hora reflete a superioridade do processador da Samsung, pelo menos no que toca à eficiência energética.

Uma das razões para este diferença de quase uma hora prende-se com o design. Apesar de serem chipsets “primos” (o Snapdragon 835 foi desenvolvido pela Qualcomm em colaboração com a Samsung), o design dos mesmos torna-os ligeiramente diferentes, apesar de utilizarem ambos uma arquitetura da ARM, OEM Cortex A73 e Cortex A53.

Para além disto, a frequência de ambos está também ligada ao consumo de energia. Enquanto que os 4 núcleos de alta performance do Exynos 8895 rodam a uma frequência de 2.3GHz, os mesmos núcleos do Snapdragon 835 rodam a 2.35GHz. Já nos quatro núcleos de baixa performance, a diferença é ainda maior, com o processador Exynos a rodar a uma frequência de 1.7GHz, enquanto que o Snapdragon 835 não desce dos 1.9GHz.

Isto parece significar que, em mais um ano, temos o processador Exynos a superiorizar-se ao topo de gama da Qualcomm. Enquanto que normalmente temos em conta a performance de ambos para determinar qual o melhor, este ano o poder de ambos está bastante equilibrado. É neste campo, da eficiência energética, portanto, que o Exynos 8895 se destaca (e bem) e assim consegue mais pontos a seu favor.

Qual o melhor processador para equipar o Samsung Galaxy S8? Deixa nos comentários a tua opinião e fica atento à 4gnews para mais novidades.

Outros temas relevantes:

O iPhone 8 poderá demorar mais a chegar às prateleiras

Guia completo daquilo que sabemos sobre o Xiaomi Mi 6

Doogee Mix: Este sim merece um destaque positivo!

FontePhone Arena
Editor 4gnews e estudante de Direito, nos tempos livres é mais provável encontrar-me a explorar novos géneros musicais, filmes e séries e a passar um bom tempo com amigos e família.