force-touch

Uma das evoluções tecnológicas que têm vindo a acontecer nos últimos tempos é a presença de um sensor de sensibilidade no ecrãs dos nossos smartphones. Esta tecnologia permita às empresas que a adoptam, criar uma série de novas funcionalidades nos seus equipamentos, cujas ações variarão consoante a força que é aplicada.

Mais uma vez quem começou com a tecnologia Force Touch foi a Apple, sobre a designação 3D Touch, seguindo-se marcas como a Huawei ou até mesmo a ZTE. Curiosamente, e apesar de todos os rumores, a Samsung não trouxe ainda o Force Touch nos seus Galaxy S7 e Galaxy S7 Edge, já que a marca Coreana tende em seguir algumas das pisadas da sua grande concorrente, a Apple.

   

Mas olhando agora para os equipamentos oriundos da Ásia, esse que é o principal assunto desta notícia, um novo leque de marcas poderão enveredar por estes caminhos. Marcas como a Xiaomi, Meizu, OPPO e Vivo poderão trazer o Force Touch aos seus equipamentos ainda este ano.

Vê também: Poderemos ver um HTC Nexus com 3D Touch? Rumores dizem que sim

iphone-6s-force-touch.png

Difundido através da rede social Weibo (fonte), pessoas ligadas ao ramo acreditam piamente que as marcas anteriormente referidas estarão a desenvolver ecrãs com tecnologia de sensibilidade de pressão.

Enquanto que na maioria das marcas referenciadas esta é uma novidade, o caso da Meizu é diferente. Isto porque já há algum tempo que se equaciona a chegada do Force Touch aos equipamentos da marca, a começar já com o próximo Meizu MX6.

Embora para já esta seja uma tecnologia a qual não considero essencial num novo equipamento de topo, a adesão de cada vez mais marcas ao Force Touch fará com que o mesmo comece a ser visto mais vezes. Com essa massificação também novas funcionalidades hão-de ser adicionadas às aplicações e a partir desse ponto talvez cresça a utilidade da tecnologia.

Talvez queiras ver:

Viagizmochina
Fonteweibo
O gosto por tecnologia foi algo que esteve sempre dentro de mim. Com o crescer do mercado dos smartphones, também o meu entusiasmo com os mesmos aumentou. Já nos tempos livres, as séries são o meu principal mata-tempo.