FIFA 21 é o jogo físico mais vendido em Portugal: vê os mais populares

Bruno Coelho
Comentar

Sem grandes surpresas, o FIFA 21 permanece num trono que já foi dos seus antecessores. Segundo os dados do site GFK Entertainment, foi o jogo físico mais vendido pela Europa fora, incluindo em Portugal.

Animal Crossing e Mario Kart perseguem o FIFA 21 pela Europa

A tabela revelada mostra também que o FIFA 21 foi o mais vendido entre 16 dos 19 países estudados. No segundo lugar podemos ver o Animal Crossing: New Horizons e Mario Kart 8 Deluxe é o terceiro classificado a nível europeu.

O FIFA 21 regressa, como referi, a um lugar que já foi seu. Como refere a fonte, o FIFA 18, FIFA 19 e FIFA 20 também venceram este prémio nos último anos. Quanto aos segundos e terceiros classificados, a história é outra.

É importante realçar que tanto o Animal Crossing como o Mario Kart são vendidos apenas para uma plataforma: a Nintendo Switch. E isso mostra a força que a consola teve durante o ano que passou.

Os 3 jogos físicos mais vendidos na Europa, distribuídos por país. Crédito: Growth from Knowledge

Animal Crossing foi mesmo o jogo físico mais vendido em França, e ficou no TOP 3 em quase metade dos 19 países estudados. Já o Mario Kart 8 Deluxe, ficou no pódio de sete dos 19 países.

Tal como destaca a fonte, há jogos com vários anos que continuam a ser um verdadeiro sucesso. Entre aqueles que ainda mais vendem em Portugal, destacam-se o GTA V e o Minecraft.

Quanto às plataformas, o FIFA 21 lidera na PS4 e Xbox One. Assassin's Creed Valhalla dominou na PS5, e Call Of Duty: Black Ops Cold War é o preferido nas Xbox Series X e Series S.

Editores 4gnews recomendam:

  • Cyberpunk 2077: chefe da Valve surpreende e defende jogo 'absolutamente brilhante'
  • PS5: stock volta a esgotar e a culpa é outra vez dos scalpers!
  • Innersloth explica as demora nas atualizações para o Among Us
Bruno Coelho
Bruno Coelho
Vive entre a paixão pela escrita, a música e a tecnologia. Licenciou-se em Ciências da Comunicação na Universidade da Beira Interior em 2015, e fez parte da equipa que fundou o Jornal de Belmonte. Produziu vários podcasts independentes pelo caminho. Come especificações ao pequeno-almoço.