Facebook tem nova arma secreta para contornar a Apple e a Google

Rui Bacelar
Comentar

O Facebook estará a preparar um relógio inteligente. Sim, um smartwatch peculiar que pode ajudar a empresa de Mark Zuckerberg a contornar as taxas e políticas da App Store da Apple e da Play Store da Google. O seu anúncio pode ter lugar durante o verão.

Este smartwatch pode vir a ter um ecrã amovível, com câmaras que permitirão gravar vídeo e captar imagens mesmo sem ligação ou emparelhamento com um smartphone. A partilha poderá ser feita diretamente nas plataformas do grupo Facebook.

O primeiro smartwatch da rede social Facebook

Facebook
Imagem meramente alusiva aos relógios inteligentes, não representando o produto em questão.

Os primeiros rumores surgiram no início de 2021. Entretanto, tal como aponta o The Verge, há novos indícios de que este produto pode ser apresentado durante o pico do verão. Mais ainda, são apontadas algumas das suas caraterísticas gerais.

Este possível smartwatch incorporará, de acordo com a fonte, um ecrã e câmaras que poderão ser removidas da demais estrutura. É uma ideologia modular que nos pode trazer um novo vestível ou wearable adaptável a mais situações da vida real.

O intuito de tal abordagem será o de facilitar a captação de conteúdo para, posteriormente, o partilhar nas redes sociais. Mais ainda, não precisaremos de estar conectados ao smartphone, tendo o smartwatch Facebook um grau considerável de independência.

Partilhas imediatas no WhatsApp, Instagram, Messenger e Facebook

Integrando o ecossistema do grupo Facebook é apenas natural que tal dispositivo possa partilhar rapidamente o conteúdo nas plataformas da empresa. Assim, teremos a possibilidade de partilhar o conteúdo no WhatsApp e nos seus Estados ou Status, no Instagram e respetivas Stories, bem como no Messenger e Facebook.

A partilha de conteúdos diretamente nas plataformas digitais do grupo Facebook será um dos seus propósitos primordiais.

De acordo com a fonte, uma das câmaras será usada principalmente para as chamadas de vídeo. A segunda câmara terá uma qualidade máxima Full-HD a 1080p, sendo dedicada maioritariamente à captação de vídeo quando separada do restante corpo do smartwatch propriamente dito.

O objetivo passará por encorajar as pessoas a usarem mais o Facebook Watch

O relógio será, assim, um instrumento de captação de conteúdo para partilha na plataforma de vídeos do Facebook, o seu Watch. É esta a tese avançada por fontes próximas da empresa, citadas pela publicação referida supra, para que as pessoas também usem mais o Facebook Watch, tal como já o fazem nos smartphones.

Numa vertente técnica, o dispositivo deverá empregar um sistema operativo baseado no Android, mas com alguma personalização feita pela empresa de Mark Zuckerberg. Também poderemos ter conetividade LTE para que o smartwatch seja mais independente, ou seja, o acesso às redes móveis.

Sabemos ainda que o Facebook estará a contactar diversas empresas com o intuito de produzir acessórios para o seu smartwatch. A medida visará criar já um ecossistema de acessórios e gadgets para o seu primeiro smartwatch logo que este chegue ao mercado.

Uma forma de contornar o domínio da Apple e Google

Facebook Apple Google

O desenvolvimento deste produto terá tido como mote a crescente crispação entre o Facebook e a Apple, além da Google. A rede social quererá contornar ambas as lojas de cada tecnológica e respetivas taxas de até 30% cobradas por cada uma.

Assim, criará um produto que traz todo o software necessário para a criação e partilha de conteúdos nas principais redes sociais por si detidas. Há outras razões de fundo, referidas, mas não especificadas pela fonte, que também vão ao encontro desta animosidade empresarial.

A mesma fonte aponta que as futuras iterações deste smartwatch poderão servir de dispositivo de ligação e controlo dos Facebook Glasses, os óculos de realidade aumentada da empresa. Também este gadget estará atualmente a ser preparado.

Note-se que o grupo Facebook detém a Oculus, empresa dedicada à produção de óculos de realidade virtual e dispositivos de realidade aumentada, para já dedicados maioritariamente aos jogos. No entanto, o interesse do Facebook neste tipo de produtos irá muito além do entretenimento.

Tendo assim uma boa base de know-how, o Facebook estará a estudar novas implementações para dispositivos de realidade aumentada, controláveis a partir do pulso. Há, portanto, muito que pode vir a depender do smartwatch da rede social.

O smartwatch pode custar 400 dólares e chegar em meados de 2022

Por fim, ainda não há uma data de lançamento oficial para este relógio. A fonte sugere o próximo verão, numa alusão ao ano de 2022, não sendo, contudo, de descartar uma confirmação prévia por parte do Facebook nos próximos meses.

O preço sugerido para este produto está situado nos 400 dólares, cerca de 350 euros. Estará disponível em branco, preto e dourado, mas estando ainda a ser desenvolvido, sem nome definido e longe ainda de entrar na fase de produção em massa.

Numa nota estritamente pessoal, face à quantidade de informação já disponível, fontes envolvidas e atual enquadramento económico, considero bastante provável o lançamento do Facebook (Smart)Watch.

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. É na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e na 4gnews a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.