mark zuckerberg facebook - 4gnews.pt

O Facebook respondeu, finalmente, aos rumores de que está a utilizar o microfone dos smartphones dos utilizadores para os escutar. Há poucos dias atrás surgiram artigos que têm sugerido que o Facebook está a ouvir as conversas das pessoas através do acesso ao microfone para fins publicitários.

Vê ainda: Facebook Messenger já está na Windows (Mobile) Store

   

Os rumores partiram de uma professora universitária da University of South Florida, Kelli Burns, que alegava ter feito o teste de abordar numa conversa perto do seu smartphone determinados tópicos e que depois esses tópicos começaram a surgir-lhe no feed de notícias do Facebook.

A notícia facilmente se espalhou pelo próprio Facebook e hoje a empresa de Mark Zuckerberg decidiu responder aos rumores alegando que não estão a usar o microfone do nosso smartphone para informar as empresas de potenciais anúncios a apresentar ou para mudar o que vemos no nosso feed. A empresa diz que os anúncios mostrados são apenas com base nos interesses das pessoas e outras informações do perfil da pessoa e não com base no que nós falamos em voz alta ao pé do smartphone.

13383643_1156669234384566_1586608703_o

O Facebook vai mais longe e garante que só acede ao microfone caso os utilizadores estejam a utilizar activamente uma característica específica que requer o uso de áudio. Segundo eles, isso pode incluir a gravação de um vídeo ou até mesmo o uso de um recurso opcional, introduzido há dois anos, para incluir música ou outros ficheiros de áudio nas nossas actualizações de estado.

Vê ainda: OnePlus 3: Preço, especificações e design, já foi tudo revelado!

Esta é daquelas explicações que não explicam nada. É apenas um desmentir do que foi dito. É a palavra do Facebook contra a palavra de Kelli Burns. Podes sempre fazer a experiência e tirar as tuas próprias conclusões; uma vez que não é possível fiscalizar o código fonte do Facebook e a implementação desses componentes e saber se eles estarão mesmo só a utilizar o microfone para isso. Porém, também não podemos acusar o Facebook de tal.

Resta, portanto, decidir se confiamos mais numa empresa que tem um historial de deselegância perante a privacidade dos seus utilizadores ou numa reputada professora universitária especialista em Mass Communication.

Talvez queiras ver:

Smartwatches compativeis com a app do Facebook:

Viaengadget
FonteFacebook

Tech Editor aqui na tua, nossa e vossa 4gnews, onde a tecnologia é falada em Português. Repórter ocasional e legal hacker. Orgulhosamente nascido no ano em que a Word Wide Web foi inventada, a Nintendo lançou o Game Boy, o primeiro episódio dos Simpsons foi para o ar e o Muro de Berlim caiu.