Apple iPhone X Face ID
Face ID no novo iPhone X da Apple

A Apple apresentou ontem os novos iPhone. O mais enigmático de todos eles é o novo iPhone X e, se podemos dizer que esse é enigmático ou, como muitos afirmam, o smartphone do futuro, podemos devê-lo ao facto de este ter o Face ID.

Com efeito, poderá ser algo complicado absorver toda a informação que ontem nos chegou desde o evento no Steve Jobs Theater, pelo que este artigo poderá clarear algumas ideias em torno deste tema.

Vê ainda: Motorola Moto G5S Plus – Guia de “root” e TWRP para este Android

   

O que é o Face ID?

Bem, é, em primeiro lugar, não o primeiro sensor de íris num smartphone, mas sim o mais famoso. Isto é, o novo smartphone da empresa de Cupertino ainda não tem 24 horas de vida e não é por isso que o seu modo de desbloqueio não é o mais sonante de todos.

Em segundo, é o tipo de desbloqueio que a Apple encontrou para trocar o seu famoso Touch ID. É, do mesmo modo, seguro e prático, pelo menos foi isso que a empresa prometeu ontem.

E como funciona?

Perguntas tu, e bem, caro leitor. De facto, o Face ID é fácil de configurar, tal como era o sensor biométrico que víamos nos iPhone desde o modelo 5S. No entanto as diferenças têm que ver com a dificuldade em usá-lo num ou noutro momento.

Como utilizador do iPhone 7 e do seu leitor de impressões digitais, é algo contraditório pensar que a Apple poderá ter encontrado outro método de desbloqueio tão bom quanto este.

Todavia, há muita gente que não utiliza o leitor de impressões digitais pelo facto dele ser inconsistente dado que as mãos podem estar molhadas por qualquer motivo, e lá se vai o sensor biométrico.

Face ID Apple iPhone X
Os sensores na parte frontal do novo Apple iPhone X

Quer isto dizer o quê? Bem, o Surface Pro 4 que me acompanha todos os dias, tal como o iPhone 7, não me deixa mentir. O sensor de íris é algo fantástico – é com ele que desbloqueio o Surface. E claro, posso ter acabado de sair do banho que não faz diferença nenhuma, funciona perfeitamente. Ou quase.

Atenção com o “quase”. Muitos pensam que o problema de um sensor de íris é o desbloqueio do ecrã à noite ou em situações de pouca luminosidade, mas é falso. Aliás, o Face ID funcionará bem melhor no novo iPhone X durante a noite que de de dia.

Isto claro, a nível estatístico. Porquê? O problema real desta tecnologia é quando o sujeito da ação está rodeado de luz direta, literalmente. Isto é, poderia parecer um pouco impensável usar o Face ID na praia, a 100%, pois na praia o sol bate diretamente no sensor e isso limitá-lo-á.

O Face ID terá de mostrar o que vale, mas certamente que será uma mais valia ao novo iPhone X da Apple!

Ou não. Uma vez que é da Apple que estamos a falar, e que a mesma apostou nesta nova tecnologia para o seu Apple iPhone X, significará que a mesma se esforçou bastante para que tudo fosse (totalmente) funcional.

E o futuro?

Essa é outra história. Imaginas-te a usar um método de desbloqueio como este diariamente, várias vezes por dia? Deverias fazê-lo, daqui para a frente. É da Apple que estamos a falar, pelo que é do mercado que estamos a falar, feliz ou infelizmente.

Isto quer por isso dizer que se a empresa da maçã decidiu abdicar do seu fantástico Touch ID, então as restantes concorrentes deverão fazer o mesmo não tarda, nos seus flagships. Consequentemente, só termos de nos habituar…

Outros assuntos relevantes:

OnePlus 5 não deverá ser substituído no evento da empresa para dia 19!

Motorola está a preparar uma mudança na interface dos seus Moto?

Xiaomi Mi Mix 2 – Smartphone já começa a quebrar recordes!

Desde cedo comecei a interessar-me pelo que podia fazer no computador. Porém, a grande paixão surgiu com o primeiro telemóvel e complementou-se com os smartphones. Nada há a dizer, são simplesmente fantásticos e úteis em todo o tipo de situações.