internet

Direitos à imagem

Ontem por mero acesso informativo liguei-me à internet e acedi ao site do Publico.pt uma empresa informativa de Portugal com a Jornal físico diário e jornal Online, que com sorte conseguimos ver uma notícia sem adquirir o pack premium. Esta notícia fez-me despertar curiosidade pelo título: “Mais de 70% dos jovens portugueses com sinais de dependência da Internet” mal li pensei: “O que entendem eles por dependência? Necessidade de comunicação? Necessidade de conhecimento? Ou simplesmente browsering e jogos?”

   

Certamente eu sou suspeito a escrever este artigo, sendo eu o fundador de um site de tecnologia onde a internet, e tudo que é gadgets estejam envolvidos nesta opinião. Neste artigo o jornal Português, referiu que os jovens são “viciados na internet”. Eu considero-me um viciado na internet. Bem, mas antes disso temos de ver o que é a palavra Vício.

Vício (do latimvitium“, que significa “falha” ou “defeito” 1 ) é um hábito repetitivo que degenera ou causa algum prejuízo ao viciado e aos que com ele convivem. (Wikipédia) mais um acessório online!

“Um estudo do ISPA mostra que quase três quartos da população até aos 25 anos apresenta sinais de dependência do mundo digital.” (Público)

Gosto particularmente da forma como eles abordam este caso, porque como todo o jornalismo Português, abordam tudo pela negativa. Certamente existem casos extremos, acredito que sim, mas será que deveremos julgar “o cu pelas calças”?

Eu sei que deve ser complicado para uma empresa que era uma das maiores empresas de jornais diários do País, ser ultrapassada por este mal, chamado internet. Mas daí a tentar lavar a cabeça ás pessoas vai um passo grande.

Eles falam de vício, eu como um “viciado” considero que a internet é algo necessário para viver. Tive 10 dias no Egipto de férias e tive 2 dias sem internet, a minha vida não poderia ser pior. Não pelo facebook ou pelo hi5 como eles mostram no vídeo, mas pela ignorância em que a minha vida se tornou repentinamente.

Assumo-me como uma pessoa com uma cultura geral normal, mas esta cultura geral foi maioritariamente  adquirida devido ao meu “vício” de internet. A escola não me ensinou a criar um website, não me explicou “porque é que nos beijamos”, não me explicou se “o que vês de cor vermelha é o mesmo vermelho que eu vejo” ou melhor “e se a terra parasse de girar? O que aconteceria?”.

E quanto ao que me ensinou eu questiono-me porque raio o ensinou! Teorema de Pitágoras, importante? Ya, uma app faz isso… Frações, utilizo na vida real? Não, mas se utiliza-se uma app fazia isso… Luís de Camões (que sou um enorme fã) ou “Os Maias”, ensina-me algo útil para a minha vida quotidiana? Deveriam ser ensinados em disciplinas com História.

Mas livros de “Como influenciar pessoas e fazer amigos” (Não julguem este livro pelo título) ou “Liderança para o sucesso” ensinaram-me como agir na minha vida social e como liderar uma equipa que considero a melhor que já vi, a equipa 4GNews.

Eu não digo que a escola não seja importante, é, mas o que ensinaram há 20 anos ainda ensinam hoje…Os tempos mudaram o ensino não… Porquê? Isto para não falar do tão chamado jornalismo Português, que mete nojo. Certamente pensas que estou a ser rude, mas pensa comigo, aliás vamos dar uma vista de olhos nas capas dos jornais do dia de hoje!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Agora vamos, com um olhar mais atento, ler as manchetes destes jornais! O Correio da Manhã fala em despedir professores, Jornal de Notícias em falência de empresa que agora ameaça mais uma vez a economia Portuguesa e O Público informa que o FMI não acredita em nós! Se visse o jornal pela primeira vez, com estas manchetes, dizia que os Portugueses só eram felizes devido ao sucesso desportivo!

É verdade eles tem de informar as pessoas, mas fica atento aos jornais e à televisão, só falam coisas más! Só problemas, só problemas…. Eu deixei de ver televisão! Eu não sei o que é uma casa dos segredos, nem sei qual é a novela da TVI neste momento, não sei o que a SIC lança e infelizmente, o melhor canal Português não tem audiência a RTP2. Portugueses acordem! A este artigo publicado pelo jornal O Público chama-se manipulação! Eles fazem de vocês o que querem! A internet é livre e esse é o problema deles e de outras empresas de comunicação Social! Na internet tu podes escolher o que ver, podes escolher o que fazer e que moda queres seguir, tu podes aprender e relaxar, tu podes ainda ter exatamente a mesma informação sem pagar a edição “premium” de certos sites!

Voltando ao ponto de inicial… Jovens viciados na internet… A internet mantêm-me em contacto mantêm-me informado, a internet ensina e acima de tudo, mantêm-me livre.

Sou dependente do meu smartphone? Sim, devido à minha vida profissional e pessoal sim! Não me vejo num tempo sem um, ter de ir a uma cabine telefónica ou ter de esperar num sitio ás “X” horas porque foi tudo combinado há dois dias atrás! Por amor de deus! O autor daquela publicação era sem dúvida uma pessoa de 2 gerações, uma pessoa que vê a tecnologia como um mal para a sociedade. Era bom sujar-se em criança? Era… Mas isso era para mim, hoje os jovens e crianças tem o poder nas mãos, podem ter mais conhecimento que nunca, podem evoluir a nossa raça mais do que nunca e acima de tudo, manter-nos  independentes dessa chamada comunicação social da treta que têm contratos milionários para “influenciar” pessoas para certos e determinados produtos!

Contudo indico há tempo para tudo, na mesa com a família para mim é uma falta de respeito utilizar qualquer tipo de distração, mas porque fui ensinado assim… Eu acredito que existe um equilíbrio para tudo. Sou a favor da tecnologia mas considero o a minha vida “em 3D” mais interessante.

Agora “Mais de 70% dos jovens portugueses com sinais de dependência da Internet” é óbvio… Eles nasceram no tempo da internet…. Não sabes uma resposta? Não vais à enciclopédia da biblioteca mais próxima, pegas no teu smartphone e inseres no Google! Eles não tem culpa que a internet lhes dá conhecimento na mão tem?

Para terminar digo que Portugal está feito com que as pessoas evitem a internet…Ora vejam a diferença para por exemplo UK.

(UK) Quero comprar algo na Internet, vou ao site, introduzo os meus dados de cartão de Débito e faço a compra. ( Portugal) Quero comprar algo na Internet, vou ao site, ou tenho uma conta crédito para comprar, ou tenho de criar um MB Net e transferir para o MB Net e depois comprar, ou depois do MB Net mandar para o meu Paypal e comprar, ou por transferência bancária que demora 3 dias a receberem, ou ainda, pagar por ref de multibanco e tenho de me levantar do meu confortável sofá para ir à caixa mais próxima.

Sistema este, que os bancos não querem mudar. Era uma simples autorização num cartão de débito com 3 dígitos na parte traseira. Porque não o fazem? Fazendo perdiam taxas dos cartões de crédito,  multinacionais como Amazon entravam no País e empresas como FNAC, Worten, Rádio Popular eram obrigados a baixar os preços…A Amazon é o melhor exemplo de todos! Rodeiam os países Europeus, nós que estamos no cantinho…

amazon map

Para terminar refiro, amigos, sejam pro-activos, não esperem que a comunicação social vos diga algo para o fazer, sejam curiosos e aprendam, olhem para o mundo tecnológico como uma ferramenta para melhorar o vosso modo de vida!

Fiquem ainda com um dos vídeos que referi acima do canal Youtube VSouce, que te ensina por palavras simples ciência interessante para saber no dia-a-dia.

E como o Michael do VSouce costuma dizer ” Obrigado por assistirem”.

Fundador do projeto 4gnews, sempre olhei para a tecnologia como um pedaço de nós. Desde cedo ligado ao mundo tecnológico, este é literalmente o meu trabalho de sonho.
Amante de vinho e apaixonado pelo meu Vit. Guimarães, acredito ainda que todas as nossas acções são o gatilho para o nosso futuro.