MotorolasAgora que o pó assentou, conseguimos processar toda a informação que em menos de dois dias invadiu o mundo mobile graças aos lançamentos da Motorola e OnePlus, é chegada a hora de tirar algumas ilações.

Será a Motorola a marca que está a construir os melhores smartphones com o sistema operativo Android? Esta dúvida/revelação cruzou-me o pensamento quando, há poucos momentos, estava a fazer um Periscope com os nossos leitores e claro, nem todos concordarão comigo. Até porque os 3 novos smartphones que a Motorola apresentou há uns dias não são os melhores que podemos comprar, há por aí especificações, benchmarks, números superiores, etc. De qualquer forma acho que ninguém irá discordar de mim quando digo que a Motorola merece um lugar no pódio bem perto desses Galaxy’s, Xperia’s, G’s, One’s, etc.

Na minha humilde opinião, tanto o Moto X Style, o Moto X Play, o  Moto G 2015 e até o económico Moto E são, muito provavelmente dos equipamentos que melhor relação Qualidade/Preço nos proporcionam respectivamente em cada uma das suas categorias (topo de gama, gama média-alta, gama média e gama baixa). Baseio a minha opinião na robustez, fiabilidade, qualidade de construção, personalização, actualizações de software e claro, no preço. De fora deixo todos os equipamentos #chinaaopoder pela simples razão de não os encontrar à venda nas grandes superfícies do mercado português.

   

De volta aos Motorola, quem é que gosta de mil e uma aplicações que não servem para rigorosamente nada a não ser ocupar o precioso espaço de memória interna e consumir memória RAM? Ora, nos Motorola não tens qualquer bloatware. Gostas da experiência stock Android? Então esta é uma das marcas a ter em conta. Fluidez, performance? Até com especificações menos impressionantes do que a concorrência os resultados práticos, a utilização no dia-a-dia consegue ser muito mais consistente e agradável. O segredo? ” A simplicidade é o expoente máximo da sofisticação”, usando as palavras de um dos mais ilustres seres humanos a habitar a Terra.

Pois bem, o que poderia ser melhor (ou mais clichê) do que um Moto X Style por 400€, um Moto X Play por 300€, um Moto G 2015 por 200€ e um Moto E por 100€ a fechar a tabela? A meu ver a Motorola está a tentar criar uma nova filosofia de mercado, preços mais justos, mais foque na experiência de utilização, menos tretas, balelas e outras tralhas que só servem para engordar a lista de funcionalidades sem qualquer relevância na vida prática. Além disso, será que à medida que o público se vai apercebendo de que não precisa adquirir um produto com 200, 300 ou 400% de margem de lucro para a marca para ter uma experiência de utilização à medida das suas necessidades?

Poderá a Motorola inverter esta triste mentalidade de despesismo? Será que ao oferecer “mais por menos” as outras marcas seguirão os seu exemplo, seja de livre vontade ou vendo-se obrigadas a tal pelo despertar de consciência do vulgo “Zé”?

Sem ferir todo o mérito que o OnePlus 2 merece ver-lhe reconhecido, encaro o Moto X Style como o meu próximo smartphone. Em boa verdade ainda não fiz as pazes com aquele gigantesco ecrã de 5.7 polegadas e os 3000 mAh de bateria parecem-me muito magros para uma gulosa resolução de 2560x 1440p ou Quad-HD, é certo que os meus olhos vão agradecer mas já estava habituado a uma autonomia com os Sony, marca que tem merecido a minha preferência desde 2012 e que me mantém satisfeito com o Sony Xperia Z2 mas lá está, por algum motivo ainda estou com o Z2.

A minha escolha do Moto X Style prende-se com vários factores, os mais importantes são a bruta personalização que o Moto Maker te pode proporcionar (Filipe já sabes que te vou dar trabalho), quero um smartphone que reflita os meus gostos, quero ser eu a escolher a combinação de cores, materiais, realces e até cunha-lo com uma frase minha (#bacelaraopoder, “Bacelar’s” ou simplesmente alea jacta est). As demais especificações agradam-me bastante, a câmara fotográfica parece que finalmente está na classe dos topos de gama, o processador Snapdragon 808 deixa-me muito mais tranquilo do que o SoC SD810, só mesmo a bateria é que ainda não me convenceu.

Sem menosprezar a possibilidade de expandir a memória interna com um cartão microSD e não ser obrigado a pagar muito mais por mais uns míseros GB’s de memória, outro ponto a favor! Talvez esteja prestes a trocar de smartphone, talvez a minha escolha recaia no Moto X Style e talvez, só talvez…o mercado Android esteja na iminência do nascimento de uma nova mentaliza, ou não terá a Motorola os ingredientes de que são feitos os gigantes?

Talvez queiras ver mais sobre a Motorola: