Está o Apple Card a ser sexista? Dezenas de relatos dizem que sim

Vitor Urbano
Comentar

O Apple Card tem dado que falar desde que foi lançado no dia 20 de agosto nos Estados Unidos, tendo recebido tantos elogios quanto criticas.

Agora, estão a enfrentar graves acusações no estado de Nova Iorque, onde o Departamento Financeiro iniciou uma investigação a possíveis práticas 'sexistas'. Na prática, a investigação recai sobre o banco Goldman Sachs, responsável pelo desenvolvimento do cartão de crédito.

The @AppleCard is such a fucking sexist program. My wife and I filed joint tax returns, live in a community-property state, and have been married for a long time. Yet Apple’s black box algorithm thinks I deserve 20x the credit limit she does. No appeals work.

— DHH (@dhh) 7 de novembro de 2019

Apple Card acusado de conceder limites de crédito 20 vezes inferiores a mulheres!

Este novo escândalo teve início quando David Hansson - fundador da empresa Basecamp - acusou o sistema do Apple Card de ser sexista, descriminando claramente as mulheres.

No tweet publicado, Hansson revela que ao aplicar-se em conjunto com a sua mulher ao Apple Card, ela recebeu um limite de crédito 20 vezes inferior ao dele. Curiosamente, têm contas bancárias partilhadas e o "credit score" dela é consideravelmente superior, fazendo com que esta atribuição no cartão de crédito não faça sentido.

Esta publicação deu início a um verdadeiro "tornado" contra o Apple Card e o sistema de aprovação/atribuição de crédito implementado pelo banco Goldman Sachs. Hansson revelou ainda que durante o processo de resolução deste problema, em múltiplas ocasiões os representantes da Apple afirmaram que não têm controlo sobre o processo de aprovação e que o único responsável é um "algoritmo".

Dezenas de casos idênticos levaram a que se iniciasse uma investigação ao Apple Card

Durante a longa reportagem de eventos sobre a situação de David Hansson, foram muitos os utilizadores que reportaram situações idênticas e algumas delas ainda mais graves.

Curiosamente, o próprio Steve Wozniak — co-fundador da Apple — respondeu a esta publicação de Hansson. Wozniak afirmou que experienciou exatamente os mesmos problemas, conseguindo 10x mais limite de crédito do que a sua mulher.

The same thing happened to us. I got 10x the credit limit. We have no separate bank or credit card accounts or any separate assets. Hard to get to a human for a correction though. It's big tech in 2019.

— Steve Wozniak (@stevewoz) 10 de novembro de 2019

Como acontece habitualmente em análises de aplicações para créditos, os utilizadores (nem os representantes) têm acesso aos dados analisados para realizar a decisão final. Por isso, ao surgirem tantos relatos que alegadamente revelam sem margem para dúvida que mulheres estão a ser descriminadas, o Departamento Financeiro do estado de Nova Iorque deu início a uma investigação oficial.

Não é possível saber quanto tempo irá demorar esta investigação, ou quais serão os possíveis resultados finais. No entanto, é importante que instituições governamentais comecem finalmente a dar importância e tomar medidas quanto a estes alegados acontecimentos.

Editores 4gnews recomendam:

Comentar
Vitor Urbano
Vitor Urbano
Sempre de mão-dada esteve a tecnologia, o desporto e o mundo gaming. Por isso, se não estiver a escrever sobre o que de novo há no mundo da tecnologia, o mais provável é estar a jogar uma partida de Ultimate Team no FIFA 19.