Escassez de consolas ou placas gráficas pode estar longe de terminar

Carlos Oliveira
Comentar

São vários os constrangimentos que este ano tem colocado, com o mercado da tecnologia a sofrer com uma escassez generalizada de componentes e chips. Uma problemática que afeta o mercado das consolas, placas gráficas, automóveis e mais.

A esperança é de que o problema possa ser resolvido em breve, porém, o CEO da Intel não se mostra confiante nessa teoria. Para ele, poderão demorar vários anos até que se resolva completamente o problema.

Escassez de componentes pode durar ainda dois ou mais anos

Em conversa com alguns analistas, Pat Kissinger acredita que a escassez de componentes possa durar mais dois anos ou mais. Declarações que contrariam a crença de outros nomes que acreditam que o problema possa ser aliviado na segunda metade de 2021.

Consolas

Na interpretação de Kissinger, a causa deste problema está falta de capacidade de fundição, substratos e peças. Estes são os principais desafios que as empresas de semicondutores terão de superar para que a normalidade das suas operações seja reposta.

Cumpre salientar que esta é a crença de Pat Kissinger há já algum tempo. O CEO da Intel já havia proferido declarações semelhantes em ocasião anterior e parece que a sua convicção se mantém.

A solução passa por mais investimento nas linhas de produção

Kissinger não se limita a apontar o dedo e dá também a sua solução para o problema que assola vários nichos de mercado. Para ele, a solução passa por um reforço de investimento.

Esse investimento deve ser canalizado para aumentar a capacidade de produção das várias entidades ligadas ao ramo. A Intel vai dar o exemplo com a construção de um novo departamento de fundição que possa ajudar a aliviar o problema.

Pat Kissinger aponta, no entanto, que este reforço de capacidade de produção poderá demorar alguns anos até que surta o efeito desejado. Daí que a sua crença é de que a atual escassez de componentes e derivados não vá acabar tão cedo.

Até lá, não há muito que nós, consumidores, possamos fazer para inverter o problema. Resta-nos esperar que a nossa nova consola ou placa gráfica desejadas estejam disponíveis para compra e agarrar a primeira oportunidade.

Editores 4gnews recomendam:

Carlos Oliveira
Carlos Oliveira
Tendo já passado por várias casas, a 4gnews é aquela que me segura desde 2015. Com um desejo insaciável de me manter atualizado tecnologicamente, a partilha desse conhecimento é apenas o seguimento natural das coisas.