Tim Cook Apple

A Apple acabou de publicar o seu relatório do trimestre fiscal, que terminou em setembro de 2015, mais concretamente no dia 26, e os resultados não desiludem. Com mais de 48 milhões de iPhones vendidos, 30% dos quais a antigos utilizadores de smartphones Android, Tim Cook, o actual CEO da Apple, tem motivos para estar orgulhoso.

Durante o período que decorreu entre julho a 26 de setembro de 2015 a Apple registou um total de vendas de iPhones que ascendeu aos 48,04 milhões de unidades, superando o período homólogo de 2014 em que venderam 39,27 milhões de unidades. No entanto, e apesar dos números fantásticos, os valores ficaram um pouco aquém das expetativas de Wall Street, cujos analistas tinham previsto 48,72 milhões. Foi por pouco e temos que ter em consideração que este relatório só contemplou 2 dias de vendas dos novos iPhone 6s e iPhone 6s Plus.

   

De acordo com as declarações de Tim Cook, 30% dos 48,04 milhões de iPhones vendidos nesse trimestre foram para antigos utilizadores do sistema operativo Android. Na prática, foram 14,4 milhões de utilizadores que a Apple conseguiu “roubar” à sua eterna rival Google.
Apple-iPhone-6s---all-the-official-images.jpg-8

Este relatório conta também algumas considerações sobre a percentagem de utilizadores que ainda utilizam modelos anteriores ao Apple iPhone 6, representando esta faixa cerca de 2 terços. Tal não é de estranhar, uma vez que os Apple iPhone 5s e iPhone 5 ainda são smartphones com uma performance exemplar, além de possuírem um design mais convencional, um factor que também tem bastante importância.

Este número de vendas também foi fortemente influenciado pelo estrondoso sucesso que a Apple e os seus iPhones estão a registar na China e em Taiwan, mercados em que a marca teve um crescimento de 99% de ano para ano. Apesar disso, é de registar uma quebra neste último trimestre devido ao conturbado período económico que estes países atravessaram.
iPad-mini-4---all-the-official-images-23

Mais uma vez, os piores resultados registaram-se nas vendas dos Apple iPad. Tendo em conta que o Apple iPad Pro ainda não foi sequer lançado no mercado, ainda ficou de fora das contas mas de qualquer forma o seu público alvo será bastante restrito.

Em termos de lucros, a Apple registou um total líquido de 11,12 mil milhões de dólares, o que significa um aumento de 31% das receitas face ao período homólogo de 2014, em que registaram um total de 8,47 mil milhões de dólares em receitas. Escusado será dizer que as suas ações no mercado bolsista também registaram um bom aumento de preço. Face a tão bons resultados é impossível não ficar tentado a investir numa das gigantes mais lucrativas do mundo.

Talvez queiras ver:

😉