Elon Musk explica a razão das janelas partirem na apresentação do Tesla Cybertruck

Filipe Alves
2 comentários

A apresentação do Tesla Cybertruck ficou marcada por dois momentos insólitos. O primeiro momento foi quando Franz, um dos designers da Tesla, bateu com uma marreta na porta do Cybertruck sem qualquer efeito visível.

O outro momento não foi tão belo. Elon Musk disse ao designer para atirar uma bola de aço ao vidro do carro e o vidro simplesmente não aguentou. Obviamente que o objetivo não era esse.

Elon Musk refere o que correu mal nos vidros do Tesla Cybertruck

Yup. Sledgehammer impact on door cracked base of glass, which is why steel ball didn’t bounce off. Should have done steel ball on window, *then* sledgehammer the door. Next time …

— Elon Musk (@elonmusk) 25 de novembro de 2019

Aparentemente, e como tudo na vida, tudo tem uma lógica. Segundo o tweet de Elon Musk, o impacto da marreta na porta acabou por estilhaçar alguma parte do vidro interior o que fez com que não conseguisse aguentar o impacto da bola de aço.

Tesla Cybertruck Elon Musk

Pode-se ler no tweet de Elon "O impacto da marreta na porta quebrou a base do vidro, e é por isso que a esfera de aço não ricocheteou. Deveria ter feito bola de aço na janela, *e só depois* martelar a porta. Fica para a próxima..."

Elon Musk mostrou um vídeo onde vemos o vidro aguentar com a bola de aço

Franz throws steel ball at Cybertruck window right before launch. Guess we have some improvements to make before production haha. pic.twitter.com/eB0o4tlPoz

— Elon Musk (@elonmusk) 23 de novembro de 2019

Antes de apuradas as culpas, Elon Musk não descansou até mostrar que efetivamente o Tesla Cybertruck aguenta com uma bola de aço no vidro. Podemos ver no vídeo acima em que o carro esteva ainda na fase de testes.

Editores 4gnews recomendam:

2 comentários
Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.