Elon Musk e Jeff Bezos em Star Trek? Impressiona-te com este vídeo Deepfake!

Filipe Alves
Comentar

Os Deepfake voltam a atacar. Mas agora de uma forma bem animada. Jeff Bezos, CEO da Amazon e Elon Musk, CEO da Tesla e SpaceX , aparecem num novo vídeo onde são os atores de um dos episódios de Star Trek num episódio de 1965.

Os vídeos Deepfake são cada vez mais usuais nos dias de hoje. Esta tecnologia, quando bem executada, consegue manipular as imagens de forma a mudar a cara do sujeito no vídeo sem que seja percetível.

Elon Musk é Captain Pike e Jeff Bezos um Alien

Caricato ver quando Jeff Bezos, que é um Alien, diz para Elon Musk, "nenhum outro Ser mostrou a tua adaptabilidade". Não deixa de ser interessante face à situação atual de Elon Musk. O homem que parece prever o futuro e que tenta levar a Humanidade onde nunca esteve.

A qualidade do Deepfake é impressionante

Este vídeo Deepfake mostra-nos Jeff Bezos e Elon Musk em Star Trek. (Impressionante)

Mais impressionante que a narrativa do episódio, é a qualidade impressionante do Deepfake. Nem parece que foi alterado e se mostrares aquele pequeno vídeo para alguém que não conheça a série ou os personagens, podem perfeitamente acreditar que se trata da realidade.

Os problemas dos vídeos Deepfake

Com esta evolução tecnológica chegam os receios dos vídeos Deepfake. Muitos podem ser usados para mudar as palavras do discurso da pessoa. Não só o vídeo pode alterar a cara, como também modificar os movimentos da boca para parecer "correto" face o novo discurso.

Estas medidas tem sido uma preocupação máxima para os gigantes tecnológicos que querem arranjar formas de conseguir diminuir a propagação de notícias falsas (Fake News) que tanto vem a ficar um problema maior nos últimos tempos.

Editores 4gnews recomendam:

Comentar
Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.