Disney+ vai acabar com partilha de contas a 14 de março

Mónica Marques
Mónica Marques
Tempo de leitura: 2 min.

O mercado de plataformas de streaming, nos últimos anos, viu um aumento significativo de serviços, com Disney+ e Netflix a batalhar pelo maior número de assinantes. A prática de partilha de contas, durante muito tempo, permitiu que as plataformas aumentassem o número de utilizadores, mas a longo prazo este hábito revelou ser um problema para todos os serviços.

Para combater esta prática, a Netflix implementou várias medidas e agora é a vez de a Disney+ seguir os mesmos passos. De acordo com o site, Ars Technica, a partir de 14 de março, a plataforma vai acabar com a assinatura partilhada fora da mesma residência.

Assinantes do serviço Hulu foram já notificados

imagem do logotipo da Disney+ no ecrã de um televisor
Também a Disney+ assinalou prejuízo financeiro devido às partilhas de contas Crédito@thibault-penin-unsplash

Esta informação sobre a Disney+ tem origem num email enviado aos assinantes da plataforma Hulu. Recorde-se que este serviço de streaming é também propriedade da empresa The Walt Disney Company.

Neste email, os utilizadores eram notificados para a futura adição de “limitações à partilha de conta fora da residência” do titular da conta, a 14 de março. A partir desta informação, o site Ars Technica contactou a Disney+ sobre o que iria fazer na sua plataforma.

A resposta foi a que já se esperava. A partir de 14 de março, tal como vai acontecer na plataforma Hulu, os assinantes do Disney+ não vão poder partilhar a sua conta com familiares ou amigos que não residem no mesmo espaço habitacional.

De acordo com o mesmo site, funcionários da Disney+ garantiram que em breve vão disponibilizar mais informações aos seus utilizadores.

Disney+ poderá ter um sistema semelhante ao da Netflix

Neste preciso momento, a plataforma da Disney não consegue ainda identificar os assinantes que partilham contas. Mas, de acordo com os rumores, este serviço pode seguir os passos da Netflix e implementar um sistema semelhante.

Por outras palavras, um mecanismo que vai bloquear a partilha de contas a dispositivos que tentarem usar o serviço fora da área de residência da assinatura.

Tal como a Netflix, também o Disney+ sofreu prejuízos financeiros com esta prática. Mais especificamente, um prejuízo de 11 mil milhões de dólares (cerca de 10,15 mil milhões de euros) desde o lançamento em novembro de 2019, segundo informações já divulgadas.

Atualmente, em Portugal o Disney+ está disponível através de duas subscrições: a mensal de 10,99 € e a anual com um custo de 109,90 €.

Mónica Marques
Mónica Marques
Como jornalista de tecnologia assistiu à chegada do 3G e outros eventos igualmente inovadores no mundo hi-tech ao longo de mais de 20 anos de carreira. monicamarques@4gnews.pt