Cortana será ainda menos relevante para o utilizador comum. Sabe porquê

Carlos Oliveira
Comentar

O mercado das assistentes pessoais é claramente dominado pela Assistente Google e Alexa. No entanto, existem outras propostas menos capazes como a Cortana ou a Bixby.

No que respeita à assistente da Microsoft, esta acaba de ficar ainda menos útil para o consumidor normal. A gigante do software acaba de anunciar o fim de algumas das mais importantes funcionalidades da Cortana.

A partir da próxima grande atualização para o sistema operativo "algumas habilidades para o consumidor, incluindo música, casas inteligentes e funcionalidades de terceiros, não estarão mais disponíveis na experiência Cortana no Windows 10."

Cortana

Isto significa que a Cortana deixará de conseguir ligar as luzes da tua casa ou mesmo reproduzir uma música no Spotify. Funções básicas que todos queremos ver numa assistente pessoal do género. Ainda assim, a Microsoft frisa que continuará a ser possível definir alarmes ou fazer pesquisas no Bing.

O principal foco da Cortana passará a ser produtividade

A Cortana está longe de conseguir rivalizar com a Assistente Google ou Alexa, e a Microsoft está ciente disso. Por isso é que a empresa americana já mencionou que irá canalizar os esforços desta tecnologia para produtividade.

Para tal, a Cortana passará a ter uma maior integração com os serviços da Microsoft. A assistente poderá ser um poderoso aliado para encontrar informação na suíte Office 365 ou ajudar-te a preparar melhor as próximas reuniões.

Este é um leque de funções que tem como principal foco o setor empresarial. Para o consumidor comum, isto são funções que pouca relevância trarão ao seu quotidiano.

Além de a Cortana deixar de funcionar em versões mais antigas do Windows 10, a Microsoft anunciou igualmente a sua saída do Microsoft Launcher para Android. Esta remoção terá efeitos a partir do final de abril.

Editores 4gnews recomendam:

Comentar
Carlos Oliveira
Carlos Oliveira
Tendo já passado por várias casas, a 4gnews é aquela que me segura desde 2015. Com um desejo insaciável de me manter atualizado tecnologicamente, a partilha desse conhecimento é apenas o seguimento natural das coisas.