Correu mal! Loja ostentava produtos da Xiaomi e chamou a atenção da polícia!

Filipe Alves
Comentar

Tudo aconteceu em São Paulo no Brasil. Uma loja de de venda de produtos eletrónicos ostentava nas redes sociais produtos Xiaomi até mais não e chamou a atenção da polícia Federal que acabou por apreender uma enorme quantidade de produtos que não tinham sido declarados e pagas todas as taxas.

Podemos dizer que o Brasil não é propriamente o local onde as taxas são mais baixas para produtos importados. O dono da loja, que comprava os produtos no Paraguai, evitava as taxas brasileiras ao declarar a receção dos produtos eletrónicos.

Ostentação Xiaomi

Foram 60 smartphones e 100 smartwatches apreendidos

Nesta rusga da polícia Federal foram 60 smartphones, 100 smartwatches e uma trotinete elétrica apreendidos. Todos os produtos careciam a declaração de importação com as devidas taxas pagas.

Num total de 150 mil Reais (ou 35 mil euros), este foi o valor estimado para a coleção de produtos eletrónicos que não tinham qualquer tipo de documentos oficiais da sua entrada no Brasil.

Ostentação não é a solução

A dita loja chamava influenciadores tecnológicos e publicava constantemente uma enorme quantidade de produtos nas suas contas de redes sociais. Foi esta ostentação que levou à investigação.

É certo que sem publicidade o negócio podia não ter crescido da mesma forma, contudo, não me parece que a polícia teria olhado da mesma forma para a pequena loja em São Paulo.

Xiaomi é cada vez mais uma marca procurada no Brasil

Com o crescimento da marca a nível global, a reentrada da Xiaomi no Brasil aumentou o conhecido "Mi Mi Mi". A empresa chinesa tem dado cartas de sucesso. Principalmente num país onde a tecnologia é extremamente cara devido à enorme quantidade de impostos do governo.

Editores 4gnews recomendam:

Comentar
Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.