Confirma-se! Ecrã de 120Hz dos Samsung Galaxy S20 tem limitações

Carlos Oliveira
Comentar

A Samsung abraçou finalmente os ecrãs com elevadas taxas de atualização, porém a sua abordagem poderá desapontar alguns utilizadores. Tal como se previa, a taxa de atualização de 120Hz nos Samsung Galaxy S20 estará limitada à resolução Full-HD+.

A sul-coreana não prestou esclarecimentos do porquê desta opção, mas não nos parece que seja por limitações de engenharia. Afinal de contas, equipamentos como o Xiaomi Mi 10 ou OnePlus 8 deverão contar com ecrãs desenvolvidos pela Samsung e suportar os 120Hz na resolução QHD+.

Autonomia dos Galaxy S20 poderá ser justificação para esta limitação

A razão mais provável para esta decisão terá que ver com preocupações com a autonomia dos smartphones. Um ecrã com uma taxa de atualização de 120Hz necessitará de mais energia que um a 60Hz, bem como um com resolução QHD+ face ao Full-HD+.

Aliás, essa justificação pode ser vista nas definições do ecrã dos Samsung Galaxy S20. Ao optar pelos 60Hz de taxa de atualização, é referido que esta proporcionará maior autonomia.

Ecrã de 120Hz em Full-HD+ será uma desvantagem?

De uma forma simples, diria que não. Os ecrãs desenvolvidos pela Samsung têm uma reprodução de cores e contrastes impressionantes mesmo na resolução Full-HD+. Aliás, esta é a opção que virá por defeito e muitos nem se lembrarão de ir às Definições escolher a resolução QHD+.

Duvida-se muito se o olho humano conseguirá distinguir a diferença entre estas resoluções num ecrã de cerca de 6 polegadas. Já a rapidez das animações oferecida por uma taxa de atualização de 120Hz, face aos 60Hz, é facilmente percetível.

Assim sendo, quando tirares o teu Galaxy S20 da caixa ficarás tão impressionado com a fluidez do seu ecrã que nem te lembrarás da resolução que está definida. Afinal, tens mais a perder com a escolha da resolução máxima do que se mantiveres os 120Hz ativos.

Editores 4gnews recomendam:

Comentar
Carlos Oliveira
Carlos Oliveira
Tendo já passado por várias casas, a 4gnews é aquela que me segura desde 2015. Com um desejo insaciável de me manter atualizado tecnologicamente, a partilha desse conhecimento é apenas o seguimento natural das coisas.