CES 2022: o que leva 75 marcas a desistirem do maior evento tecnológico do mundo?

Mónica Marques
Comentar

Parece que o CES 2022 é a vítima mais recente da variante Ómicron da Covid-19. Esta terá sido a razão que levou 75 marcas a cancelar a presença física nas instalações do evento em Las Vegas.

E estamos a falar de marcas "de peso" como a Amazon, Mercedes, BMW, Google, Twitter entre outras de envergadura global semelhante.

CES 2022 vai acontecer, uma garantia dada pela empresa organizadora do evento

CES
Este ano, o evento volta a abrir portas depois da edição de 2021 ter sido exclusivamente online

O Consumer Electronic Show ou CES acontece todos os anos em Las Vegas, no início de cada ano e habitualmente é uma montra das tendências tecnológicas para esse mesmo ano. Mas, desde o aparecimento da Covid-19 que evento tem sofrido duros golpes. Lamentavelmente, este ano não é exceção e esta montra tecnológica vai ficar aquém das expetativas.

Sabe-se agora, mesmo na véspera da abertura de portas, que 75 marcas cancelaram a presença física no espaço em Las Vegas, reservado para o evento. Todas alegaram que a razão de não se deslocarem às instalações estava diretamente relacionada com o aparecimento e rápida disseminação da variante Ómicron da Covid-19.

Mas apesar de tantas desistências, Gary Shapiro, gestor da empresa CTA que organiza o evento, afirma que o CES 2022 vai acontecer, mas que "certamente será diferente dos anos anteriores".

As desistentes do CES 2022

Google
Google não quer arriscar e desiste de marcar presença física no CES 2022

E diferente é uma das palavras possíveis para descrever. Vazia poderá ser outra, uma vez que a ausência de 75 stands é significativa o suficiente para ser visível e, talvez, até obrigar a uma nova logística na gestão do espaço aberto ao público.

Mas afinal quais foram as empresas que desistiram de um evento desta relevância? Além de serem muitas, têm nomes sonantes, o que torna este golpe de difícil gestão. De seguida, mostramos-te uma lista com algumas das empresas desistentes:

  • Amazon
  • BMW
  • Google
  • HMD Global (Nokia)
  • Intel
  • Lenovo
  • Mercedes
  • Meta (ex-Facebook)
  • Microsoft
  • MSI
  • Nvidia
  • OnePlus
  • Pinterest
  • TikTok
  • Twitter

E estas são apenas 15 das empresas desistentes, mas como pudeste constatar os nomes são demasiado sonantes, a nível global, o que certamente vai ter uma repercussão negativa sobre o evento.

Ómicron afasta marcas e meios de comunicação

Estas desistências tornam-se ainda mais relevantes quando se recorda que a edição deste ano do CES era um regresso ao espaço presencial. Já em 2021, devido à pandemia de Covid-19, a organização limitou-se a fazer o evento na plataforma online.
Empresas como a Amazon, Twitter e Meta declararam que a desistiram de estar presentes fisicamente no espaço pela situação de incerteza que a nova variante Ómicron está a criar e não quer arriscar a saúde dos seus funcionários.

Por outro lado, vários meios de comunicação de tecnologia dos vários pontos do mundo já anunciaram também que este ano não vão fazer uma cobertura presencial do evento, exatamente devido ao aparecimento de uma nova variante de Covid-19 que é altamente transmissível.

Organização garante aplicação rígida de protocolos de saúde

Perante todas estas declarações, a organização já veio a público garantir que estão implementados um conjunto de protocolos de saúde, onde se inclui a exigência de que todos os presentes têm de estar vacinados contra a Covid-19.

Mas parece que não é o suficiente para convencer algumas das mais importantes empresas de tecnologia a deslocarem-se aos palcos de Las Vegas. Para já, uma das consequências é que a duração do evento foi reduzida, ou seja, estava previsto que decorresse de 5 a 8 de janeiro, mas sabe-se agora que último dia será 7 de janeiro. E parece que a razão é para evitar exatamente mais contacto físico... ou será porque já não há mais nada para apresentar devido às desistências?

Editores 4gnews recomendam:

Mónica Marques
Mónica Marques
Como jornalista de tecnologia assistiu à chegada do 3G e outros eventos igualmente inovadores no mundo hi-tech ao longo de mais de 20 anos de carreira.