CEO do Twitter com conta hackeada através do seu número de telemóvel

Carlos Oliveira
Comentar

Ontem a conta de Jack Dorsey (CEO do Twitter) foi hackeada por um grupo intitulado Chuckle Squad. A conta acabou por ser recuperada em apenas 15 minutos, mas foi o suficiente para que o grupo deixasse algumas mensagens racistas ou relacionadas com o Holocausto.

Este hack não teve grandes efeitos negativos para o Twiiter, até porque todos os tweets lançados pelo grupo já foram eliminados. Aquilo que podemos retirar deste acontecimento é a forma "simples" como estes hackers conseguiram ganhar acesso à conta do CEO da rede social.

Twitter CEO
Jack Dorsey, CEO do Twitter

Hackers usaram uma técnica chamada de "SIM hacking"

Em termos leigos, estes meliantes conseguiram convencer a operadora de Jack Dorsey de que este tinha mudado de telemóvel. Desse modo, o grupo conseguiu que número do CEO do Twitter ficasse associado a um telemóvel que eles controlavam.

A forma como eles conseguiram alcançar tal está ainda por explicar. A AT&T, a operadora norte-americana em causa, não divulgou os pormenores deste hack e dificilmente o fará.

Esta técnica é resultante da funcionalidade que o Twitter disponibiliza que permite aos seus utilizadores publicarem tweets através de SMS. Para tal, basta enviarem a mensagem que querem partilhar na rede social para um determinado número.

Para isso, basta que tenhas o teu número de telemóvel associado à tua conta no Twitter. Isto pode ser particularmente vantajoso para quem não possui um smartphone ou não tem a aplicação da rede social instalada.

Este método de hacking não é uma novidade

O método usado para tomar o controlo da conta do CEO do Twitter não é uma novidade no ramo. Existem relatos de acontecimentos semelhantes para tentar roubar Bitcoins ou contas de Instagram de pessoas influentes.

Isto relembra-nos para o facto de quanto mais fácil é ter acesso às nossas contas, mais fácil será para que pessoas mal intencionadas consigam alcançar o mesmo.

Já o hackear da conta do responsável maior pela rede social é uma notícia embaraçosa para o Twitter. Se eles não são capazes de garantir a segurança do seu próprio pessoal, como serão capazes de garantir a dos milhões de utilizadores ativos no mundo?

Editores 4gnews recomendam:

Comentar
Carlos Oliveira
Carlos Oliveira
Tendo já passado por várias casas, a 4gnews é aquela que me segura desde 2015. Com um desejo insaciável de me manter atualizado tecnologicamente, a partilha desse conhecimento é apenas o seguimento natural das coisas.