Carregamento rápido do smartphone faz a bateria sofrer! E muito!

Filipe Alves
2 comentários

A OPPO revelou ontem de forma oficial a sua tecnologia para carregar smartphones com 125W. Ou seja, um telemóvel com esta tecnologia e uma bateria de 4000 mAh conseguirá carregar totalmente em apenas 20 minutos.

Estes números são impressionantes, porém, chegam com um problema. A tecnologia que neste momento temos nas baterias está longe de ser a melhor para um carregamento rápido. E a OPPO acaba de confirmar isso mesmo.

Em dois anos a bateria perde imensa qualidade

Carregar smartphone com 120W

Para ser mais concreto, a OPPO referiu que num total de 800 cargas (presumindo que carregas o telemóvel um vez por dia, serão 800 dias) a bateria perde cerca de 20% de qualidade. Ou seja, dois anos depois de carregares todos os dias o smartphone a 125W os 100% transformaram-se em apenas 80%.

Por sua vez, e em forma de comparação, carregar o smartphone com 65W (que já é super rápido) depois de 800 ciclos a bateria fica nos 91%. Ou seja, uma saúde de bateria consideravelmente superior.

Isto leva-nos a pensar se valerá a pena carregar o equipamento de forma rápida. Uma coisa é certa, se és daqueles que gosta de ter o smartphone durante vários anos, talvez não seja uma opção para ti.

Por outro lado temos também o problema de encontrar a bateria para um smartphone OPPO. Que não é tão simples quanto um smartphone da Samsung, Huawei ou Apple. Isto é, os valores da bateria podem não compensar o investimento num smartphone dois anos depois.

Teremos de esperar para ver. Infelizmente não podemos ter o melhor dos dois mundos. Pelo menos para já. Sinceramente prefiro carregar o telemóvel de forma lenta mas sem fios do que ter o equipamento totalmente carregado em 20 minutos com fio. Isto claro, tendo em conta que danifica a bateria do dispositivo.

Editores 4gnews recomendam:

Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.