Avast "admite" violação de privacidade e vai terminar todo o polémico esquema!

Vitor Urbano
Comentar

Depois de ter rebentado a notícia no início da semana de que, o Avast estava a recolher dados privados dos seus utilizadores e a vendê-los a empresas externas.

Todo este processo não era feito pelo próprio Avast, mas sim através de uma subsidiária "Jumpshot". Ainda que continuem a garantir que sempre cumpriram com as leis em vigor, foi agora oficializado que irão de forma gradual encerrar a Jumpshot.

Avast vai encerrar subsidiária avaliada em 180 milhões de dólares

Certamente que a empresa não tomou a decisão de encerrar a Jumpshot de ânimo leve, considerando que está avaliada em 180 milhões de dólares. Todo o escândalo resultante da investigação recentemente publicada, terá certamente causado grandes conflitos entre a Jumpshot e os seus clientes.

Relembro que a empresa mantinha parcerias comerciais com grandes empresas mundiais, como por exemplo a Google, Microsoft, Sephora, e muito mais.

Avast privacidade Jumpshot

O grande problema não esteve relacionado com o facto da subsidiária do Avast vender as informações recolhidas pelo programa de anti-vírus, mas sim pela forma como eram recolhidos os dados.

Ainda que fosse necessário o consentimento dos utilizadores, a empresa foi bastante inteligente nos Termos e Condições, mascarando o máximo possível que os dados acabariam por ser vendidos.

Além disso, foi também alvo de grandes critícas o tipo de informação recolhida pelos vários softwares disponibilizados pelo Avast. Um dos pacotes mais populares da Jumpshot prometia acesso a informação sobre "Todas as pesquisas. Todos os cliques. Todas as compras. Em todos os sites". Resumindo numa só palavra, assustador!

Como consequência de todo este incidente, a cotação do Avast na bolsa sofreu um grande impacto, vendo o valor das suas ações cair 11% durante os últimos dias.

Editores 4gnews recomendam:

Comentar
Vitor Urbano
Vitor Urbano
Sempre de mão-dada esteve a tecnologia, o desporto e o mundo gaming. Por isso, se não estiver a escrever sobre o que de novo há no mundo da tecnologia, o mais provável é estar a jogar uma partida de Ultimate Team no FIFA 19.