Asus Zenfone 3
O Asus Zenfone 3

A Asus tem vindo a desenvolver um bom trabalho no mundo mobile. Ainda que em Portugal esta aposta da marca neste setor possa passar mais despercebida, em países como o Brasil é um equipamento com alta taxa de vendas.

Apesar de nativamente vir equipado com o Android 6.0 Marshmallow, o Asus Zenfone 3 recebeu recentemente a atualização que permite fazer o upgrade para o sistema operativo mais recente. Enquanto utilizador diário de um Asus Zenfone 3, confesso que com esta atualização com perto de 1300 MB, acreditava que também estava a fazer download de mil e uma potencialidades. Mas, infelizmente, não passaram disso mesmo, potencialidades e expectativas.

Vê também: Xiaomi Mi6 e Mi6 Plus vêem todas as suas especificações reveladas

   
ASUS ZenFone 3
Multi-window (à esquerda) e painel de notificações (à direita)

Confesso também que sentia o smartphone mais estável enquanto imperava o Android 6.0 Marshmallow no meu Asus Zenfone 3. Contudo, a melhoria mais notável e que mais mereceu a minha atenção foi a autonomia. Originalmente a autonomia era impecável (com resultados a rondar as 6 horas de screen on time). Depois, com uma atualização posterior, a autonomia baixou drasticamente e, felizmente, voltou à normalidade com esta atualização para o Nougat.

Asus Zenfone 3 com Android Nougat

De resto e infelizmente, as alterações que tenho a relatar são a possibilidade de multi-window ainda que esta seja muito “crua”, isto é, o ecrã é literalmente dividido ao meio sem a possibilidade de escolheres qual aba queres que seja maior (potencialidade esta presente em equipamentos de outras marcas) e o aspeto da ZenUI que se mostra ligeiramente diferente, principalmente no painel de notificações. Ainda assim, a própria ZenUI tem tido várias falhas no seu funcionamento que consequentemente dificultam, por exemplo, o desbloqueio do smartphone.

Excelentes escolhas

Para além do descrito, ainda constato que existem alguns bugs em aplicações como o Facebook Messenger ou o GTA San Andreas (que corria sem problemas no Marshmallow) e que o led de notificações passou a mostrar, na maioria das vezes, apenas a cor vermelha.

Ainda que não esteja diretamente relacionado com este upgrade de software, outro aspeto que me tem desiludido é a frequência com que recebe as atualizações dos patches de segurança. Enquanto meu equipamento pessoal, utilizo todos os dias o Asus Zenfone 3 para consultar todo o tipo de informações pessoais, desde contas bancárias, email, redes sociais, PayPal, Via-Verde… enfim, uma infinidade de informação pessoal está no meu smartphone. E o facto do patch de segurança instalado após a atualização para o Nougat ser de 1 de janeiro de 2017 preocupa-me, uma vez que torna-me mais vulnerável aos perigos da internet.

Vê ainda: Huawei P9 Lite está alegadamente a receber o Android 7.0

Como disse na parte inicial, as mil e uma potencialidades deste update poderia colocar a Asus nas luzes da ribalta. Desde uma interface da câmara mais simples e intuitiva, a uma ZenUI de cara lavada, esta teria sido uma oportunidade de ouro para a Asus “mimar” os seus clientes neste ramo ainda com tantas coisas onde a marca pode aprender.

Em jeito de conclusão, para quem ainda não atualizou e atendendo a tudo o que referi neste artigo, aconselho que o faça (a menos que um dos aspetos menos positivos acima mencionados te provoque muito transtorno) uma vez que certamente os erros existentes desaparecerão com uma eventual atualização futura e terás o equipamento atualizado (com as vantagens que daí possa vir).

Outros artigos relevantes:

Funções exclusivas do Android 7.1.2 para o Motorola Moto G4, G4 Plus, Moto Z e Z Play

Samsung Galaxy S8: Tudo o que sabemos! 

Nokia 3 e Nokia 5 dual SIM terão slot independente para microSD

Aproveita as promoções!