Cada vez mais as marcas têm apostado em câmaras com duas lentes nos seus smartphones. Um dos primeiros e mais populares equipamentos a apostar neste tecnologia foi o LG G5, apresentado na edição do ano passado do Mobile World Congress. Depois deste, seguiram-se muitos outros equipamentos com o mesmo tipo de tecnologia e que começa, agora, a tornar-se quase um padrão.

Vê também: Dica: Personaliza o teu Android com este guia da Google

   

Mas muitos se questionarão qual o fundamento deste tipo de câmaras. Será que com dois sensores as fotografias tiradas são automaticamente melhores do que as captadas apenas com um? A verdade é que resposta a esta pergunta não é assim tão simples e cada equipamento tem uma abordagem diferente ao assunto. E é precisamente isso que irei abordar neste artigo.

A Apple e a sua dual-camera criada para o zoom

Sem qualquer tipo de seleção ou preferência por qualquer uma destas opções, irei começar por explicar a abordagem da Apple ao assunto. A Apple entrou no mundo das dual-cameras com o seu iPhone 7 Plus. Esta abordagem nada tem que ver com a qualidade das imagens em ambientes de pouca luz ou outro tipo. O grande fundamento da dual-camera do iPhone 7 Plus está no zoom óptico da mesma.


Este equipamento possui uma das suas lentes sempre em modo de focagem, facilitando assim a transição entre as lentes. Desta forma, sempre que quiseres fazer zoom em alguma das tuas fotos, o mesmo será feito muito mais rapidamente e com maior qualidade do que em outros equipamentos. O senão desta tecnologia é que ambas as lentes têm cumprimentos focais diferentes.

Ainda no segmento do zoom, temos, mais recentemente, a tecnologia da Oppo com o seu zoom de 5x. Esta é uma tecnologia que ainda está por ser implementada em equipamentos reais. Neste caso, uma das lentes está incorporada dentro da própria estrutura do equipamento e que permite um zoom até 5x, com o mínimo de perda de qualidade possível.

A LG e as suas grande angulares

LG G6

Agora que já expliquei o funcionamento da dual-camera da Apple, avancemos para uma abordagem algo semelhante. Vamos agora olhar para as dual-camera presentes nos LG G5 e LG G6. Este tipo de tecnologia surgiu primeiramente no LG G5 e funciona como uma câmara grande angular.

Estamos a falar de uma câmara que é capaz de captar imagens com um campo de visão bastante alargado. Em termos práticos, as lentes dos flagships da LG são capazes abranger muito mais pessoas numa fotografia do que a maioria das suas concorrentes é capaz. Em termos comparativos com a tecnologia da Apple, esta parece que uma das suas lentes está constantemente com o zoom no mínimo.

Não percas: Final de semana Intel Core com descontos em portáteis até 100€

Huawei e as suas lentes Leica monocromáticas

De seguida é tempo de olhar-mos para a abordagem da Huawei em pareceria com a Leica. Aqui temos, mais uma vez, duas lentes com propósitos diferentes. Uma delas é uma lente convencional, ou seja, de cor, ao passo que a sua companheira é monocromática e que só captura imagens a preto e branco.

Para os que são adeptos de fotos a preto e branco, os últimos dois flagships da Huawei são excelentes escolhas. Mas não foi apenas por isto que a Huawei optou por este caminho. Com este tipo de sensores, torna-se muito mais fácil captar imagens em condições com baixa luminosidade, mas, claro está, não esperes o mesmo tipo de resultados quando em condições de boa luminosidade.

Este tipo de abordagem não é exclusiva da Huawei, existindo outras marcas, como a Xiaomi com o seu Xiaomi Mi 5S Plus, a fazerem algo semelhante. No caso da marca chinesa, esta usa uma tecnologia da Qualcomm chamada Clear Sight que, com o mesmo fundamento, é mais acessível às variadas construtoras de smartphones.

Por fim vale apena referir o Project Tango da Google, onde os equipamentos desenvolvidos ao seu abrigo também fazem uso de vários sensores fotográficos. Só que neste caso não estamos perante smartphones com apenas duas lentes, estes possuem, no mínimo, três sensores.


Mas aqui o propósito é bastante diferente. Neste caso, o objetivo é fazer um mapeamento realista do ambiente que nos envolve, com maior foco na Realidade Aumentada e o seu público alvo ainda não está vocacionado no consumidor que apenas pretende captar aquele momento perfeito com a melhor qualidade possível.

Como vês, existem vários tipos de abordagem à mesma tecnologia. Com este artigo quis informar-te quais os que tens, neste momento, à tua disposição para que possas optar por aquele que melhor irá satisfazer as tuas necessidades.

Outros assuntos relevantes:

Samsung Galaxy S8 e Galaxy S8+ voltam a ser fotografados

MediaTek quer produzir Processadores em arquitectura de 7nm

Benchmark revela especificações da próxima placa gráfica de topo da AMD!

O gosto por tecnologia foi algo que esteve sempre dentro de mim. Com o crescer do mercado dos smartphones, também o meu entusiasmo com os mesmos aumentou. Já nos tempos livres, as séries são o meu principal mata-tempo.