Apple Watch vende mais que os smartwatch Samsung, Huawei ou Fitbit juntos

Bruno Coelho
Comentar

Já foram revelados os mais recentes dados sobre o segmento de mercado de smartwatches da Counterpoint Research. A fonte revela que entre outubro e dezembro a Apple volta a destronar completamente a concorrência.

Apple Watch teve 40% de quota de mercado no último trimestre de 2020

Durante os últimos três de meses de 2020, este segmento de mercado revelou-se alheio à pandemia. Foi registado um crescimento de 1,5% face ao período homólogo. Só a Apple amealhou 40% do deste segmento de wearables.

Isto fez com que, neste período, a tecnológica de Cupertino vendesse mais relógios inteligentes que as quatro empresas que aparecem atrás na lista. Falamos de Samsung (10%), Huawei (8%), Fitbit (7%) e o grupo BBK (6%).

Vendas (envios) de smartwatch no quarto trimestre de 2019 (esq.) e quarto trimestre de 2020 (dir.) Fonte: Counterpoint Research

Mesmo com a Huawei e a Samsung a terem um trimestre forte, o lançamento dos mais recentes Apple Watch Series 6 e Apple Watch SE trouxeram vendas astronómicas. Só destes produtos terão resultados 12,9 milhões de unidades vendidas no último trimestre de 2020.

Tudo aconteceu num ano em que mesmo a Samsung continuou a vender de forma sustentada o seu Galaxy Watch 3. E registe-se que a Huawei, ainda com a ajuda da Honor, teve o maior crescimento deste ano face a 2019 - 26%.

Envios globais de smartwatch, 2020 vs 2019. Fonte: Counterpoint Research

Mesmo a Apple subiu e muito durante 2020. Face a 2019 cresceu 19% com uma subida nas vendas de 28,4 para 33,9 milhões de unidades vendidas durante o ano todo. Recorde-se que, desde que os Apple Watch foram lançados, a empresa da maça já vendeu mais de 100 milhões de unidades.

Editores 4gnews recomendam:

  • iPhone SE 3: as novidades esperadas no smartphone barato da Apple
  • Vê os jogos da Sport TV com a nova app para Android TV e Apple TV
  • Apple: patente revela nova alternativa ao USB-C no iPhone
Bruno Coelho
Bruno Coelho
Vive entre a paixão pela escrita, a música e a tecnologia. Licenciou-se em Ciências da Comunicação na Universidade da Beira Interior em 2015, e fez parte da equipa que fundou o Jornal de Belmonte. Produziu vários podcasts independentes pelo caminho. Come especificações ao pequeno-almoço.