Apple Watch Series 6 recebe Edição Limitada da coleção "Black Unity"

Bruno Coelho
Comentar

De forma de “celebrar a verdade, o poder e a solidariedade”, a Apple lançou uma Edição Limitada do Apple Watch Series 6 incluída na “Black Unity Collection". A simbologia por trás desta versão passa por combater o racismo.

“Inspirada nas cores da bandeira pan-africana, a Black Unity Collection celebra um símbolo de união entre as pessoas da diáspora africana. A Apple apoia as organizações que promovem a equidade e justiça raciais”, pode ler-se na descrição desta nova versão do produto.

O que inclui a Edição Limitada do Apple Watch Series 6 Black Unity Collection

Esta versão inclui uma bracelete e um mostrador inspirados nas cores da bandeira pan-africana. Segundo a Apple: “o vermelho, simboliza a união entre as pessoas da diáspora africana e o sangue derramado durante a sua libertação; o preto, representa as pessoas negras cuja existência é assinalada pela bandeira; e o verde, que remete para a enorme riqueza natural de África”.

O “Mostrador União” muda ao longo do dia, e a bracelete desportiva Black Unity conta com um pino gravado. O cristal traseiro conta também com uma gravação exclusiva da Black Unity.

É importante realçar que esta Edição Limitada não confere nenhum custo adicional, além do valor do tradicional do smartwatch. Isto significa que pode ser adquirida por 439€ na versão de 40mm ou 469€ na versão de 44mm em Portugal.

Aos utilizadores que queiram juntar-se a este movimento e já tenham um Apple Watch, podem fazê-lo adquirindo a bracelete desportiva Black Unity. Esta custa 49 €, e é compatível com “a maioria das braceletes com qualquer caixa do Apple Watch Series 3 ou outra mais recente do mesmo tamanho”.

Editores 4gnews recomendam:

  • Fundador da OnePlus usa iPhone, mas arrepende-se. Sabe a razão
  • Apple lança macOS Big Sur 11.2 corrigindo a falha no Bluetooth nos Mac com chip M1
  • iOS 14.5 permite desbloquear iPhone com máscara. Mas há um senão!
Bruno Coelho
Bruno Coelho
Vive entre a paixão pela escrita, a música e a tecnologia. Licenciou-se em Ciências da Comunicação na Universidade da Beira Interior em 2015, e fez parte da equipa que fundou o Jornal de Belmonte. Produziu vários podcasts independentes pelo caminho. Come especificações ao pequeno-almoço.