Apple e Samsung aniquilam concorrência num dos mercados mais importantes do mundo

Bruno Coelho
Comentar

Se nos mercados emergentes o poder de marcas como a Apple ou a Samsung é cada vez menor, o mesmo não se pode dizer num mercado tão importante como é o dos Estados Unidos.

De acordo com uma pesquisa feita pelos analistas da Wave7 Research, a Apple e a Samsung conseguem juntas vender mais de 90 por dos smartphones nas lojas das operadoras americanas.

Segundo os dados revelados pela pesquisa, Apple e Samsung vendem 94 por cento dos smartphones nas lojas das operadoras Sprint e Verizon, 95 por cento nas lojas da AT&T, e 91 por cento nas lojas da T-Mobile.

iPhone 11 e Galaxy S10 foram os mais vendidos em dezembro

Durante o último mês de dezembro, também existiu um padrão nos smartphones mais populares entre as quatro operadoras. O iPhone 11 foi o mais vendido do lado da Apple, tendo o Galaxy S10 sido o mais vendido do lado da Samsung.

Tal como revela o site PCMag, estas lojas controlam perto de 90 por cento do negócio de smartphones pré-pagos nos Estados Unidos. Isto significa que estes números são bem esclarecedores quanto ao panorama de vendas de topos de gama no país.

A mesma fonte revela que marcas como a Google ou a OnePlus têm uma penetração muito reduzida neste mercado. A linha Pixel fica-se entre os 2 e os 4 por cento, estando a OnePlus pouco acima dos 2 por cento.

Este não é o mercado que mais se assemelha ao português. No entanto, pinta-nos o quadro de como se comporta um dos mercados mais importantes do mundo. Deve ter-se em conta que muitas das fabricantes populares globalmente não estão disponíveis nas operadoras americanas, o que acaba por influenciar estes números.

Editores 4gnews recomendam:

  • iPhone XR é o campeão de vendas da Apple! Entende porquê
  • iPhone 12 pode chegar ao mercado sem notch. Com que compromissos?
  • Samsung Galaxy Note 10 Lite tem design confirmado em imagens reais!
Bruno Coelho
Bruno Coelho
Vive entre a paixão pela escrita, a música e a tecnologia. Licenciou-se em Ciências da Comunicação na Universidade da Beira Interior em 2015, e fez parte da equipa que fundou o Jornal de Belmonte. Produziu vários podcasts independentes pelo caminho. Come especificações ao pequeno-almoço.