Apple prepara-se para abolir de vez a notch no iPhone. Conhece os detalhes

Carlos Oliveira
Comentar

A publicação LetsGoDigital volta a dar a conhecer ao mundo uma nova patente preenchida pela Apple. Neste novo documento, a empresa norte-americana mostra-nos como poderá ser o seu iPhone sem notch ou buraco no ecrã para a câmara frontal.

Os esboços presentes na patente mostram-nos um ecrã que cobre quase a totalidade da estrutura frontal do dispositivo. Este apresenta-se com cantos quadrados e margens simétricas.

Patente Apple
Créditos: LetsGoDigital

A ausência de interrupções no ecrã indicia a utilização de um sensor de impressões digitais e câmara frontal embutidos no ecrã. Este poderá ser o fim do Face ID, uma vez que não vemos local para a alocação dos sensores necessários.

Será que esta patente se destina mesmo a um iPhone?

A fonte avança que este possa ser o design dos iPhones de 2020, mas tal parece muito arrojado. A tecnologia de câmaras frontais embutidas no ecrã ainda não está suficientemente desenvolvida para que a Apple a utilize nos seus equipamentos.

Ademais, no texto deste documento podemos ler, a certa altura, que se trata de uma "patente parcial". Aquilo que a norte-americana submeteu para patente é apenas o ecrã e não o equipamento no seu todo.

Tudo aquilo que circunda o ecrã é secundário no documento submetido pela Apple. A nossa atenção deve focar-se apenas no tipo de ecrã que a tecnológica está a pensar utilizar.

Isto indica que este poderá não se destinar a um iPhone. Uma das teorias é que esta tela possa ser aplicada no próximo iPod Touch, embora não seja provável que a Apple apresente um novo modelo já em 2020.

Há muito que os fãs pedem uma redução ou abolição completa da notch nos iPhones. Este documento reacende a esperança de que tal possa acontecer mais cedo que o previsto, mas nada nos garante que esta venha a ser aplicada brevemente.

Editores 4gnews recomendam:

Comentar
Carlos Oliveira
Carlos Oliveira
Tendo já passado por várias casas, a 4gnews é aquela que me segura desde 2015. Com um desejo insaciável de me manter atualizado tecnologicamente, a partilha desse conhecimento é apenas o seguimento natural das coisas.