Home Android

Apple – HTC e Motorola não abrandam os Android devido à bateria

E tu, como classificas esta postura da Apple para com os seus utilizadores? Deixa-nos a tua opinião abaixo, nos comentários.

Apple Motorola HTC Android Bateria
Afastando-se da posição da Apple, ambas as marcas vieram agora a público

O caso “explodiu” na semana passada quando a Apple admitiu que abrandava o desempenho ou performance dos CPU’s dos seus iPhone’s antigos. O objectivo? Salvaguardar a bateria e o iPhone em si perante a natural degradação da célula energética. O caso foi aqui esclarecido. Agora, as rivais Motorola e HTC vieram a público afirmar que não implementavam uma medida semelhante nos seus dispositivos Android.

A resposta dos consumidores à medida da Apple não foi tão complacente e alguns deles já colocaram a gigante de Cupertino no banco dos réus. Entretanto, a própria Apple já emitiu um pedido de desculpas pelo sucedido. O caso terminou com a marca a oferecer descontos em todo o mundo na substituição das baterias.

Vê ainda: Google Play Store Android – TOP20 Pack de ícones grátis (tempo limitado)

Assim que a situação foi exposta vimos vários dos nossos leitores a perguntar se no mundo Android o mesmo era aplicável. A Samsung também já se chegou à frente, negando a aplicação de um algoritmo com efeito semelhante nos seus dispositivos Android. Agora, a HTC e a Motorola seguem-lhe o exemplo.

HTC e Motorola não abrandam os seus Android como a Apple tem feito devido à degradação natural da bateria

As declarações foram prestadas ao site The Verge que já tentou contactar várias construtoras Android. A sua pergunta era simples e una.

“Também aplicam algum algoritmo que abrande a performance dos CPU’s para salvaguardar a bateria?”. A pergunta que está na mente de muitos utilizadores desta plataforma da Google.

Para além de terem contactado a Motorola e a HTC, contactaram também mais fabricantes. Desde a Google, Samsung, LG e até a Sony. Esta última, a construtora japonesa, através do seu porta-voz, disse que o período de férias atrasaria a resposta da empresa. Já a Samsung, como aqui demos a conhecer, nega categoricamente esta prática.

A acção da Apple, em última análise, tinha um bom propósito. Contudo, teve uma má aplicação. Os utilizadores deveriam ter sido elucidados sobre tal prática. Desta forma foi-se alimentando uma “teoria da conspiração” de que a marca abrandava intencionalmente para que os consumidores comprassem o novo iPhone. A primeira parte verifica-se. A segunda não.

Na prática, devido à natural degradação da bateria, estas passam a debitar menos energia com o passar do tempo. Ora, para precaver encerramentos inesperados dos dispositivos, a Apple aplicava um algoritmo que abrandava os processadores de forma a não serem tão exigentes com a bateria.

Algo que tanto a Motorola como a HTC não aplicam aos seus dispositivos Android. O caso está a ser acompanhado com atenção pela 4gnews à medida que mais construtoras Android se vão pronunciado.

E tu, como classificas esta postura da Apple para com os seus utilizadores? Deixa-nos a tua opinião abaixo, nos comentários.

Assuntos relevantes na 4gnews:

Qualcomm Snapdragon 670, 640 e 460 com especificações reveladas

Qualcomm vs Samsung – Galaxy S9 apresentará dia 4 o seu novo Exynos

Huawei enfrentará o seu maior teste em fevereiro com os Huawei Mate 10

ViaXDA Developers
FonteThe Verge
Quando não está a escrever um artigo ou a gravar algum vídeo, o Bacelar tem por hábito saborear um bom livro, descobrir novas bandas sonoras ou simplesmente desfrutar do sol, na companhia de quem mais gosta (MM).
Blogs do Ano - Nomeado Inovação e Tecnologia