Apple deverá apresentar o futuro dos seus MacBook na WWDC deste ano

Carlos Oliveira
Comentar

Há muito que se fala que a Apple irá mudar os processadores nos seus computadores. A empresa americana deverá abandonar os processadores da Intel para desenvolver os seus, baseados na arquitetura ARM.

De acordo com o que a Bloomberg está a avançar, a Apple irá confirmar a transição para a arquitetura ARM na WWDC deste ano. O primeiro modelo a contar com o novo processador será o MacBook de 12 polegadas, com mais a seguirem-lhe o exemplo nos próximos anos.

Macbook Pro

Apple irá basear-se no A14 para os novos processadores para os MacBook

A Bloomberg adianta que a Apple está a trabalhar em três processadores para implementar nos MacBook e Mac. Estes SoC terão como base o vindouro Apple A14, o processador que equipará os iPhone 12 e iPhone 12 Pro.

Estes novos processadores serão desenvolvidos na litografia de 5nm. Terão ganhos consideráveis no que respeita ao seu desempenho, uma capacidade gráfica superior e contarão com funcionalidades únicas ao nível da Inteligência Artificial.

A ser tudo isto verdade, a transição para processadores ARM só traz vantagens à Apple. Além de diminuir a sua dependência de terceiros, conseguirá desenvolver computadores ainda mais potentes que os que já tem no mercado.

MacBooks com ARM só devem chegar ao mercado em 2021

O espaçamento entre o anúncio do projeto e a sua concretização tem o objetivo de dar tempo aos programadores para adaptar os seus programas. Isto porque programas desenvolvidos para os processadores Intel não funcionam em processadores ARM.

Uma forma de exemplificar isto é dizer-te que os iPhone e iPad correm processadores ARM. Como certamente saberás, as aplicações desenvolvidas para estes não funcionam no teu Mac e vice-versa.

A Apple não será a primeira a apostar na arquitetura ARM para os seus computadores. Marcas como a Microsoft ou Samsung já lançaram propostas semelhantes e estes destacam-se, sobretudo, pela sua incrível autonomia.

Editores 4gnews recomendam:

Carlos Oliveira
Carlos Oliveira
Tendo já passado por várias casas, a 4gnews é aquela que me segura desde 2015. Com um desejo insaciável de me manter atualizado tecnologicamente, a partilha desse conhecimento é apenas o seguimento natural das coisas.