Apple corre o risco de ver os iPhones banidos na Rússia em 2020!

Filipe Alves
Comentar

A Rússia aprovou uma nova lei que obriga a todo o pedaço de tecnologia (hardware) que chegue ao seu país que instale software Russo se este estiver disponível. Ou seja, temos aqui um enorme problema para a Apple e para outros fabricantes que já se pronunciaram contra esta nova lei.

De forma simples e em termos práticos. Por exemplo, o iPhone tem o browser Safari pré-instalado, a nova lei obriga a que a Apple pré-instale nos iPhones da Rússia o "Yandex" visto que é um software Russo que faz o mesmo que o Safari. Esta medida foi a forma que a Rússia descobriu em dinamizar o software e desenvolvedores do seu País.

Apple iPhone Rússia

Não só a Apple poderá ser afetada

Fala-se da Apple porque a empresa de Tim Cook é conhecida por não dar o braço a torcer para nada nem ninguém. Os iPhones nunca tiveram nenhuma aplicação pré-instalada que não fosse da Apple.

O mesmo não se pode falar de outras empresas como a Samsung, Huawei, Xiaomi (e por aí fora) que permitem a pré-instalação de aplicações em troca de parceiro de negócios.

Mesmo quando a Apple não era ninguém e lançou o primeiro iPhone tal não aconteceu. Mesmo que na altura as operadoras enchessem os seus smartphones de bloatware que ninguém utilizava.

O mercado Russo é importante a nível mundial

O mercado russo conta com 144 milhões de utilizadores. Ou seja, não é um mercado simples de ignorar. Este mercado Russo é mais importante do que um país como Portugal ou Espanha. Ou os dois juntos até!

Não sabemos como é que este problema se desenrolará, porém, sabemos que a Apple normalmente não cede a este tipo de situações. Estou curioso para saber qual será a visão de outras empresas no caso. Até porque este pode ser um ponto de partida para mais países adotarem esta nova lei.

Editores 4gnews recomendam:

Comentar
Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.