Apple continua líder do mercado de wearables, mas é a Huawei quem mais cresce

Carlos Oliveira
Comentar

Segundo o mais recente relatório da agência IDC, a Apple continua dona e senhora do mercado de wearables. Já a chinesa Huawei fica-se pelo terceiro posto da tabela, mas isso não a impede de ser quem mais cresceu nos primeiros três meses do ano.

Huawei regista um crescimento de 282% no primeiro trimestre de 2019

A empresa chinesa quase triplicou a sua presença no mercado de wearables só nos primeiros três meses deste ano. Segundo os dados revelados, o seu crescimento foi de 282.2% entre janeiro e março de 2019.

Mercado wearables
Ranking mundial de wearables no primeiro trimestre do ano


Este incrível crescimento está diretamente associado ao sucesso que os seus smartphones têm tido no mercado. Afinal de contas, a chinesa tem o hábito de oferecer alguns destes seus gadgets juntamente com a compra dos seus dispositivos móveis. No entanto, a incerteza que a rodeia atualmente poderá inverter drasticamente esta curva de crescimento.

Já a Apple foi quem mais vendeu em 2019. Só nos primeiros três meses do ano, a tecnológica vendou um total de 12.8 milhões de wearables em todo o mundo. Esta cifra representa um crescimento de 49.5% face ao ano passado e resulta numa quota de mercado de 25.8%.

São três os dispositivos os responsáveis por este sucesso: Apple Watch, AirPods e os headphones Beats. Dentro deste pequeno nicho, aquele que mais sucesso continua a arrecadar entre os consumidores é o Apple Watch, que se destaca claramente da sua concorrência direta.

Xiaomi e Samsung também crescem

A Xiaomi ocupa, neste momento, a segunda posição deste mercado. Sem grandes surpresas, as suas Mi Band são o principal responsável por este cenário, ao terem vendido cerca de 5 milhões de exemplares por todo o mundo.

Já a Samsung fica-se pela quarta posição, registando um crescimento de 151.6% face ao ano de 2018. Aqui temos também um vasto leque de opções, como os Galaxy Watch, Galaxy Buds e os headphones JBL.

A fechar o top-5 mundial temos a Fitbit, com uma quota de mercado de 5.9%. Este é o reflexo da venda de 2.9 milhões de wearables nos primeiros três meses deste ano. Esta empresa está cada vez mais focada no desenvolvimento de gadgets de apoio à saúde e isso permite-lhe destacar-se das concorrência.

Ao contrário dos smartphones, os wearables estão em crescimento

Por fim, notar ainda que o mercado, como um todo, foi capaz de crescer 55.2% no primeiro trimestre deste ano. Esta cifra traduz-se na venda de 49.6 milhões de dispositivos por todo o globo.

De acordo com a IDC, este crescimento deve-se à eliminação do jack de 3.5mm e da continua aposta em assistente virtuais. A agência acredita que as várias fabricantes continuarão a apostar neste tipo de gadgets para construir o seu próprio ecossistema. Desse modo, este nicho de mercado tem tudo para continuar a ter sucesso nos próximos anos.

Comentar
Carlos Oliveira
Carlos Oliveira
Tendo já passado por várias casas, a 4gnews é aquela que me segura desde 2015. Com um desejo insaciável de me manter atualizado tecnologicamente, a partilha desse conhecimento é apenas o seguimento natural das coisas.