Apple A15: já sabemos o mais importante sobre o coração dos iPhone 13

Rui Bacelar
Comentar

A geração iPhone 13 chega em setembro próximo a menos que algum novo rigor pandémico obrigue a gigante de Cupertino a alterar o seu tradicional calendário de apresentações. Até lá, contudo, podemos dar conta de várias novidades e melhorias no seio da Apple.

Entre as mais importantes e alinhadas com a atual agenda da empresa, o desenvolvimento de chips, semicondutores e processadores é uma das mais prementes. E, ainda que o próximo iPhone não deva usar o processador M1, terá sim, um poderoso A15 da Apple.

O iPhone 13 é apresentado em setembro pela Apple

Apple iPhone 12

Segundo a publicação asiática Digitimes o novo processador A15 já entrou na fase de produção em massa. Este será o processador que equipará os smartphones iPhone 13, iPhone 13 mini, iPhone 13 Pro, bem como o modelo topo de gama iPhone 13 Pro Max.

Sabemos também que este SoC (system on chip) empregará a litografia / arquitetura de 5 nm, tal como o atual A14. Teremos, contudo, otimizações no sentido de tornar o processador mais eficiente no consumo energético e com melhor desempenho.

Ainda de acordo com a supracitada publicação, o início da produção em massa no final de maio é necessário para que os iPhone 13 estejam prontos no final de setembro. Só assim, segundo as previsões, será possível dar resposta à procura esperada.

A fabricante dos processadores Apple continua a ser a Taiwan Semiconductor Manufacturing Company (TSMC).

O chip A15 alimentará a próxima geração de smartphones Apple

Os volumes atuais de produção serão capazes de garantir um bom fornecimento até setembro para que os novos iPhone cheguem às lojas nessa altura. Assim, a Apple tenta remediar a atual escassez de componentes que afeta a produção de vários produtos.

A mesma publicação, citando fontes próximas da indústria, aponta a manutenção da litografia de 5 nm. No entanto, apesar de termos uma mesma arquitetura de chips, a Apple terá preparado várias melhorias e otimizações para aumentar o desempenho do SoC.

Por outro lado, a mesma fonte sugere que a Apple passará a usar chips com litografia de 4 nm a partir de 2022. Aí teremos o próximo salto geracional na arquitetura de chips usada.

A tecnológica conta com uma maior procura pela próxima geração de smartphones iOS, mantendo a fórmula da geração atual. Assim, contamos com quatro modelos de iPhone 13, da versão mini ao Pro Max a liderar a gama.

Os seus ecrãs variarão entre 5,4 polegadas (13 mini), 6,1 polegadas (13 e 13 Pro), bem como as 6,7 polegadas do 13 Pro Max. Por fim, contamos com grandes melhorias para o sistema de câmaras fotográficas dos telefones.

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. É na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e na 4gnews a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.