Google Play Store aplicações App Store 1 aplicações
A quadra natalícia foi sem dúvida uma boa altura para todos os programadores @sensortower

Os consumidores gastaram cerca de 196 milhões de dólares (163 milhões de euros) em aplicações, compras dentro das aplicações e subscrição de serviços durante o dia de natal de 2017. Esta cifra abrande os valores gastos na Google Play Store, a loja oficial do Android e a App Store, a loja oficial da Apple e do seu sistema operativo iOS.

Os dados provenientes da agência sensortower não incluem os gastos dos utilizadores Android na China mas, mesmo assim, mostra-nos um quadro bem completo. Comparando os números de 2017 com os números de 2016 assistimos aqui a um aumento de 12,3% nos gastos feitos em aplicações da Google Play Store e App Store.

Vê ainda: 56 aplicações gratuitas na Google Play Store para o teu Android

Estes valores reflectem a realidade do mercado de aplicações e jogos. Mostram-nos aqui um bom indicador do crescimento deste segmento e são ótimas notícias para todos os programadores. Estes estão certamente satisfeitos com o aumentos dos gastos nas lojas de aplicações oficiais. Seja pela Google Play Store ou App Store, o aumento foi significativo.

Google Play Store e App Store registaram um aumento de 12% na compra de aplicações

Seja na compra de novas aplicações premium como na subscrição de serviços e compras dentro das aplicações. Todas estas áreas apresentaram um saudável crescimento face aos valores de 2016. O dia de Natal estimulou bastante os consumidores.

Aqui, a App Store destaca-se por registar um aumento significativo nos serviços de subscrição. Já no passado, dominavam as aplicações premium onde o utilizador fazia um único pagamento para desbloquear todo o conteúdo. Aliás, a mais recente moda são os livros de colorir, algo que tem estimulado o crescimento destes serviços de subscrição.

O relatório desta agência mostra também um crescimento nas compras de aplicações que não se incluem na categoria de jogos. Aliás, o aumento nas compras de aplicações que não sejam jogos foi bem superior à compra de jogos. Com efeito, a compra destas aplicações cresceu cerca de 66%. Já a compra de jogos cresceu 5.2 pontos percentuais.

Quantia gasta na compra de aplicações no dia 25 de dezembro:

Google Play Store aplicações App Store 1 aplicações
O Natal estimulou a compra de várias aplicações em ambas as plataformas

Esta explosão no aumento das receitas geradas por aplicações que não sejam jogos deve-se, em grande parte, aos serviços de streaming como a Netflix e a HBO NOW. Em 2017 assistimos a um aumento de 98% nos gastos em aplicações de entretenimento face ao valor registado em 2016. Dados avançados pela Sensor Tower.

Seja pela Google Play Store ou App Store, as aplicações como a Netflix e são cada vez mais procuradas

Aliás, de todos os 38 milhões de dólares gastos neste tipo de apps (não jogos), a empresa estima que um total de 9.5 milhões de dólares foi gasto em apps de entretenimento. Em 2016 o valor gasto nesta categoria ficou-se pelos 4.8 milhões de dólares.

Note-se que este aumento dos gastos em todo o tipo de apps de entretenimento, seja através da Google Play Store ou da App Store não é uma surpresa. É sim, uma das novas tendências de consumo.

Aliás, já era esperado. Ambos os serviços tem investido bastante na divulgação dos seus serviços de streaming e as apps são uma componente cada vez mais crucial para o sucesso deste tipo de atividades. A Spotify sabe disso, a Netflix também, entre tantas outras.

Os indicadores deste dia de natal de 2017 são uma boa forma de prever o que é que 2018 trará. Servem como indicador das preferências do público. Mostram-nos o que é que os consumidores estão a escolher. Que serviços estão a subscrever e ativar. Que apps são mais compradas. Seja através da Google Play Store ou da loja App Store, este novo quadro é bastante elucidativo.

Com efeito, este novo relatório da Sensor Tower vem dar seguimento ao relatório da App Annie. Aqui, tal como avança a TechCruncho mercado global de aplicações é um dos que mais tem crescido. Com as receitas a atingir os 17 mil milhões de dólares nas receitas das apps durante o terceiro trimestre de 2017.

Jogos arrecadam mais receitas mas não foram a categoria que mais cresceu na Google Play Store nem na App Store

Para 2018 as várias fontes concordam numa coisa. Este segmento de mercado continuará a crescer e tornar-se-á cada vez mais apelativo. Seja nas receitas obtidas através da compra de apps (downloads) como através das subscrições de serviços.

Em suma, deste último relatório podemos concluir que, apesar de os jogos ainda serem as maiores fontes de receita na Google Play Store e na App Store, existem sinais de mudança. Não foram os jogos os maiores a crescer. Não, foram as apps normais. Crescimento que foi também potenciado pela crescente popularidade das Apps de streaming para dispositivos móveis.

E tu, utilizas alguma app de streaming de conteúdos pagos como a Netflix? Qual foi a ultima aplicação que compraste através da Google Play Store ou da App Store? Deixa-nos a tua opinião abaixo, na secção reservada para os teus comentários.

Assuntos relevantes na 4gnews:

Android – Fabricantes não abrandam smartphones com baterias antigas

Apple – iPad não vai ficar mais lento como o iPhone

Huawei já olha para a Apple mas desde 2013 que não crescia tão pouco

Viaphonearena
Fontesensortower
Quando não está a escrever um artigo ou a gravar algum vídeo, o Bacelar tem por hábito saborear um bom livro, descobrir novas bandas sonoras ou simplesmente desfrutar do sol, na companhia de quem mais gosta (MM).