-640x353

 

 

   

Sendo o nosso objectivo manter o público ao corrente das mais recentes inovações tecnológicas, não podia deixar passar ao lado esta notícia verdadeiramente inovadora!
E não, não se trata de ficção científica, mas anda lá perto…

As vítimas de disparos ou agressões potencialmente fatais  serão colocadas num estado de animação suspensa nos primeiros testes em seres humanos desta inovadora técnica de emergência para salvar vidas.

Este mês, as primeiras tentativas de colocar seres humanos num estado de animação suspensa, utilizando uma ténica inovadora, vão decorrer no UPMC, Hospital Presbiteriano de Pittsburgh no estado norte-americano da Pensilvânia. E não, não é ficção científica nem será usado para viagens espaciais mas sim para salvar vidas!

Este procedimento será inicialmente aplicado a 10 indivíduos cujas feridas de outra forma seriam fatais, e consistirá numa tentativa de ganhar uns preciosos minutos ou horas aos cirurgiões para que possam salvar a pessoa.

Este procedimento tem de facto inspiração na ficção científica, pois consiste no arrefecimento rápido do corpo, mas não colocam a pessoa numa cápsula futurista nem numa imersão de qualquer tipo. Este arrefecimento não será mediado por factores externos.

Mais concretamente, a equipa de cirurgiões removerá todo o volume de sangue do indivíduo, que será substituído por uma solução salina de muito baixa temperatura. Isto irá arrefecer o corpo, abrandar as funções vitais e interromper a necessidade de oxigénio, este será assegurado directamente pela solução.

Estes efeitos já foram registados em vítimas de acidentes como a sueca Anna Bågenholm que sobreviveu debaixo de uma camada de gelo e água gelada durante 80 minutos. E como o caso do japonês Mitsutaka Uchikoshi que sobreviveu 24 dias sem água nem comida ao entrar num estado de hibernação hipotérmica. Ambos os casos resultaram de acidentes de esqui.

6a00d8341bf7f753ef00e54f29b7628833-800wi

De acordo com o depoimento do Doutor Samuel Tisherman, o cirugião que irá chefiar os testes, numa intervista à New Scientist :

Estamos a suspender a animação mas não gostamos de lhe chamar animação suspensa, pois soa demasiado a ficção científica…Nós chamamos-lhe preservação de emergência e reanimação.”

Esta técnica foi desenvolvida pelo Doutor Peter Rhee, que obteve resultados positivos em testes com suínos, no ano de 2000. Em 2006, o Doutor Rhee e sua equipa publicaram os resultados da pesquisa, onde revelaram que após induzir ferimentos fatais em porcos, cortando as artérias com bisturi, a  equipa substituía o sangue do suíno com uma solução salina que diminuía a temperatura em cerca de 10ºCelsius.

Todos os porcos de controlo, que não recebiam esta transfusão acabaram por morrer enquanto os outros, que eram submetidos a esse procedimento com a solução salina mostraram uma taxa de sobrevivência de 90%, após os seus corações serem reanimados com um comum desfibrilador. Destaca-se também que após o procedimento os suínos não demonstraram qualquer anomalia física, psíquica ou comportamental.

Esta técnica só será usada em última instância, quando a vítima sofra paragem cardíaca derivada de um traumatismo grave ou tenham perdido mais de metade do seu volume de sangue. Resumidamente, traumatismos com uma taxa de sobrevivência de 7% ou menos.

A taxa de sobrevivência do grupo de indivíduos submetidos a esta técnica será depois comparada à taxa de sobrevivência do grupo de controlo, indivíduos que não receberão este procedimento.

E lá está, apesar de não ser ficção científica, pois o corpo humano só poderá ser submetido a poucas horas deste procedimento, cerca de 3-4h, Se aumentar a probabilidade de sobrevivência a estes traumas e ferimentos já é um enorme passo em frente para toda a Humanidade!

Para os interessados aqui fica o vídeo da entrevista:

 

Espero que gostem e, como sempre, partilhem!

 

source