Android Oreo no Huawei Mate 10 Pro sem a EMUI 8.0

Rui Bacelar
Huawei G10 Samsung Top 10 smartphone EMUI 6 Huawei Android Oreo Project Treble Huawei Mate 10 Pro EMUI 8.0
A tecnológica chinesa é uma das marcas a dar o exemplo. @reuters

Quando pensamos em Android Oreo e Huawei Mate 10, Mate 10 Pro ou Mate 10 Lite a palavra que imediatamente se segue é a EMUI 8.0. Esta é a mais recente versão da interface própria da construtora chinesa. Já se baseia na mais recente versão do sistema operativo da Google para dispositivos móveis. O Oreo 8.0, apresentado no dia 21 de agosto de 2017.

Foi em dia de eclipse solar que chegou ao mundo e através da EMUI 8.0 que se estreou nos smartphones topo de gama da Huawei. Os seus Huawei Mate 10 e respectivas variantes. Ora, uma das suas peculiaridades é precisamente a sua própria interface gráfica, a EMUI 8.0. Algo que poderá não agradar a todas as mentes e a todos os potenciais consumidores.

Vê ainda: Pack de ícones temporariamente grátis para Android

Outro dos pontos e temas que tem atraído várias atenções na comunidade Android é o Project Treble. Um tema amplamente debatido aqui, na 4gnews. Aliás, a Huawei é uma das marcas que já garantiu o suporte para este Project Treble, uma iniciativa da Google que visa compartimentar o sistema. Desta forma, tentaria agilizar a atualização dos smartphones e dispositivos ao atualizar "apenas" certos módulos do sistema e não toda a Vendor Interface.

AOSP como alternativa à EMUI 8.0 nos Huawei Mate 10 e Mate 10 Pro?

Ora, foi este mesmo Project Treble que causou algum ultraje. Isto quando a OnePlus garantiu que não adoptaria este iniciativa em nenhum dos seus atuais equipamentos. A Nokia seguiu-lhe o exemplo mas ambas possuem argumentos para tal. Uma vez que todos os seus lançamentos, todos os seus smartphones chegaram às lojas sem o Android Oreo. De futuro, poderão vir a adotar esta plataforma.

A grande razão pela qual a comunidade tecnológica ficou tão entusiasmada com o Project Treble vai bel além das atualizações teoricamente mais rápidas do Android. Isto porque o Vendor Test Suite para verificar a compatibilidade com o Project Treble necessitaria que os dispositivos utilizassem uma versão genérica do Android Oreo. Por genérica entenda-se a AOSP (Android Open Source Project).

Huawei Mate 10 Pro EMUI 8.0 Project Treble Android Huawei Google
Antes e depois do Project Treble

Graças a este mesmo AOSP do Android Oreo 8.0, o Huawei Mate 10 e Huawei Mate 10 Pro estão a conseguir utilizar esta versão pura do Android Oreo 8.0. Contornando assim a necessidade de utilizar a EMUI 8.0 para usufruir das novidades desta versão do sistema operativo.

O Huawei Mate 10 e Mate 10 Pro foi apresentado em outubro com o Android Oreo 8.0 já instalado. Desta forma, ambos os dispositivos já foram concebidos de raíz com o Oreo 8.0 em mente. Assim, o suporte para o Project Treble encontra-se garantido, bem como a compatibilidade com todas as aplicações da Google e serviços.

EMUI 8.0 é a mais recente versão da interface da Huawei e já se baseia no Android Oreo

Desta forma, é sem grande surpresa que vemos uma versão genérica do Android Oreo 8.0 a correr sem problemas no Huawei Mate 10 e também no Huawei Mate 10 Pro. Contudo, note-se que para muitos programadores o Project Treble ainda são águas essencialmente desconhecidas. Daí ninguém ter descoberto esta opção mais cedo.

A possibilidade de utilizar o AOSP do Android Oreo 8.0 em vez da EMUI nos Huawei Mate 10 Pro e Mate 10 foi descoberta pelo membro da comunidade de programadores XDA, o senhor phhusson. Por curiosidade terá tentado utilizar a AOSP e esta correu maravilhosamente no seu dispositivo. Outro utilizador, desta vez no Project Treble Development Forum relatou a mesma situação.

Em suma, é possível utilizar a AOSP do Android Oreo 8.0 no Huawei Mate 10 e Huawei Mate 10 Pro. Sem qualquer modificação específica para o dispositivo. Ora, uma simples imagem de sistema pode funcionar perfeitamente com o processador dos Mate 10. Tal como também corre no HiSilicon Kirin 960 presente nas gerações anteriores.

Contudo, só porque pode ser utilizado não quer dizer que a ROM AOSP (Android Open Source Project), não significa que seja adequada para uma utilização diária. Apresenta ainda vários erros. Vários bugs que carecem de eliminação e resolução imediata. Portanto não podemos recomendar a sua utilização para um dia-a-dia sem preocupações.

Alternativa à EMUI será a AOSP do Android Oreo 8.0 para os Huawei Mate 10

Em suma, o Project Treble possui vários benefícios. Contudo, de momento não estão a ser devidamente aproveitados. Porquê? Sinceramente porque faltam programadores e desenvolvedores a apostar fortemente nas suas capacidades. Aliás, para já são poucos os smartphones que foram lançados no mercado já com o Oreo instalado. Algo que melhorará num futuro próximo.

Mais ainda, desenvolver uma nova ROM de raiz para um smartphone que não está nas mãos do programador pode ser uma tarefa muito lenta e ingrata. Contudo, será graças à comunidade de programadores independentes. Será graças à XDA Developers que teremos mais ROM's à nossa escolha. Seja para o Huawei Mate 10, Huawei Mate 10 Pro ou qualquer outro dispositivo. A partir de agora será apenas uma questão de tempo.

Se quiseres, e para não perderes os próximos artigos, listas, dicas e análises, fiquem atentos às nossas redes sociais como a página de Facebook, Instagram e claro, no YouTube onde terás também as nossas LiveCasts semanais todas as segundas-feiras às 21:30, hora de Lisboa.

E tu, gostarias de utilizar outra interface que não a original dos Huawei Mate 10? Caso assim seja, a AOSP será sem dúvida uma excelente alternativa. Simples, rápida e com uma aparência extremamente stock e próxima do Android Oreo 8.0 no seu estado mais puro. Até lá, resta-nos esperar!

Assuntos relevantes na 4gnews:

Xiaomi Redmi Note 5 será substituído pelo Xiaomi Redmi 5 Plus

Samsung Galaxy A8 2018 e Galaxy A8+ 2018 – as melhores inovações!

Android é vítima de novo malware, Google Play Store está a salvo!

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. É na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e na 4gnews a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.