Android Auto e Apple CarPlay são mais perigosos que mandar mensagens, afirma estudo

Vitor Urbano
Comentar

O mundo dos automóveis tem apresentado a sua maior revolução de sempre no que respeita às tecnologias que apresentam, especialmente nos seus sistemas de entretenimento. Ao longo dos últimos anos tanto o Android Auto da Google como o CarPlay da Apple têm-se afirmado como ferramentas importantes para os condutores.

No entanto, ficou sempre a grande questão se, são uma ferramenta útil no auxílio à condução ou responsáveis por aumentar o nível de distrações enquanto estás ao volante. De acordo com um recente estudo realizado pela Transport Research Laboratory (TRL) e iAM RoadSmart, não só estes sistemas se apresentam como responsáveis por grandes distrações, mas são mesmo mais perigosos do que enviar mensagens de texto.

Android Auto Apple CarPlay

Android Auto e Apple CarPlay aumentam drasticamente o tempo de resposta dos condutores

Os dados revelados pelo estudo afirmam que, os tempos de resposta dos condutores aumentam em até 57% quando estão a utilizar estes sistemas. Em termos práticos, este aumento pode traduzir-se numa distância de travagem de até 4 carros de distância. Em situações normais, um condutor apresenta em média cerca de 1 segundo no que respeita ao seu tempo de reação.

Como seria de esperar, os resultados revelam que as funcionalidades touch de ambos os sistemas são responsáveis pelo maior impacto. Ainda que ambos apresentem valores bem acima do aceitável, o sistema da Google conseguiu resultados "menos negativos" que o da Apple.

Em jeito de comparação, o limite permitido enquanto efeito de bebidas alcoólicas aumenta o tempo de reação em 12% e sob o efeito de cannabis, os utilizadores apresentam um tempo de reação 21% mais elevado. Obviamente, no segundo exemplo não é referido qual o nível de intoxicação considerado.

Google Android Auto Apple CarPlay

Resultados não correspondem à perceção diária dos utilizadores

Este estudo não parece apresentar medidas de controlo realistas, que descrevam corretamente acontecimentos credíveis. Por exemplo, os valores apresentados no caso da condução sob influência de bebidas alcoólicas assumem que o condutor está 100% concentrado durante a condução.

No entanto, não é difícil assumir que condutores embriagados vão certamente distrair-se muito facilmente com o smartphone, sistema de entretenimento ou qualquer outra coisa.

Considerando a atual realidade no que respeita à condução, é prática comum a utilização de sistemas de navegação, sejam eles no smartphone, GPS (TomTom, Garmin, etc.), computador de bordo, etc. Quando comparados diretamente, é impossível não reconhecer que a utilização do Android Auto ou CarPlay é muito menos intrusiva e distrativa que qualquer uma das alternativas.

O facto de utilizarem interfaces otimizadas para controlos touch e ecrãs de maiores dimensões, fazem com que todas as interações durem o mínimo tempo possível e todo o conteúdo seja de fácil visualização.

Editores 4gnews recomendam:

Vitor Urbano
Vitor Urbano
Sempre de mão-dada esteve a tecnologia, o desporto e o mundo gaming. Por isso, se não estiver a escrever sobre o que de novo há no mundo da tecnologia, o mais provável é estar a jogar uma partida de Ultimate Team no FIFA 19.