ANACOM acusa aumento de 6,5% nas telecomunicações em Portugal

Rui Bacelar
Comentar

Entre o final de 2009 e finais de 2020, o preço médio das telecomunicações em Portugal aumentou 6,5%, em contramão com a média na União Europeia (UE) em que os preços desceram 11%. Os dados foram agora avançados pelo centro EUROSTAT.

As métricas foram partilhadas também pela Autoridade Nacional de Comunicações (ANACOM) na última terça-feira, citando o relatório completo da agência europeia. É mais uma investida do regulador contra a MEO (Altice Portugal), NOS e Vodafone.

Preço das telecomunicações baixou 11% na Europa, subiu 6,5% em Portugal

Preços ANACOM MEO NOS VODAFONE
Variação nos preços das telecomunicações. Crédito: ANACOM

"A diferença estreitou-se com a entrada em vigor no dia 15 de maio de 2019 das novas regras europeias que regulam os preços das comunicações intra-UE", destacou a ANACOM, no comunicado à imprensa divulgado esta terça-feira (24).

Atendendo aos valores referidos no gráfico supra, apenas a Eslovénia e a Roménia registaram um aumento superior no preço das telecomunicações durante o período em apreço, de 7,2% e 17,6%, respetivamente.

Fora do relatório estão o Reino Unido, Irlanda, Malta, Suécia e Estónia, países para os quais a Eurostat não colheu dados, por conseguinte, não sendo tidos em conta nas observações do regulador português.

"As diferenças entre a evolução de preços das telecomunicações em Portugal e na U.E. devem-se sobretudo aos “ajustamentos de preços” que os prestadores implementaram durante vários anos, normalmente nos primeiros meses de cada ano.", comenta a ANACOM.

Preços elevados face a outros países da União Europeia

ANACOM NOS MEO Vodafone Altice Portugal
Evolução dos preços das telecomunicações em Portugal e na EU. Crédito: ANACOM

O regulador nacional aponta os preços elevados nas ofertas de serviços de comunicações eletrónicas quando comparados com a média da UE e, casuisticamente, face à maioria dos Estados Membros. A tendência, aliás, continuaria a agravar-se não fossem as diretivas europeias obrigarem a uma diminuição dos preços das chamadas intra UE, por exemploç

A conclusão é óbvia e preocupante. "Portugal continua a registar preços de retalho das ofertas de serviços de comunicações eletrónicas elevados por comparação com os de outros países da União Europeia", aponta a ANACOM.

O regulador aponta ainda que "Várias organizações internacionais independentes têm efetuado ao longo dos anos comparações internacionais de preços de telecomunicações para o segmento residencial.

Os resultados das comparações de preços mais recentes promovidas pela Comissão Europeia são apresentados nos gráficos seguintes. (ATENÇÃO: quanto mais baixo o valor do índice, mais elevados são os preços)", destaca o regulador.

ANACOM MEO NOS VODAFONE
Fonte dos dados: CE, DESI 2020. Crédito: ANACOM

O mesmo cenário é constatado ao analisar os preços das ofertas convergentes - vulgo pacotes 4P ou 5P - com os serviços de TV+NET+VOZ+MÓVEL, por exemplo. Também nessa ótica, os preços em Portugal ocupam a quinta posição entre os preços mais elevados na EU.

A tendência é observada em todo o espectro de ofertas da MEO (Altice Portugal), NOS e Vodafone, enquanto maiores operadoras em Portugal. Algo que o regulador expôs agora em diversos gráficos, ilustrando a nossa posição face à UE.

Pacotes 4P/5P em Portugal ocupam a quinta posição entre os mais caros da UE

ANACOM NOS MEO VODAFONE
Fonte dos dados: CE, DESI 2020. Crédito: ANACOM

Ao observar os preços dos pacotes 2P (NET+VOZ), os chamados serviços individualizados de voz e internet, registou as mesmas conclusões. Também nessa ótica ocupamos o 5.º lugar com a oferta mais cara entre o grupo de países observados.

Por outro lado, ao estudar as ofertas de banda larga isolada (internet), Portugal ocupa a sétima posição entre os preços mais elevados.

O regulador partilhou ainda as suas conclusões relativamente à taxa de variação homóloga da mensalidade mínima por tipo de oferta, reportando-se ao mês de outubro de 2020 e cujas constatações podem ser observadas em seguida, no gráfico infra.

A NOWO destaca-se positivamente face à MEO, NOS e Vodafone

ANACOM NOS MEO VODAFONE
Variação nas mensalidades por tipo de oferta. Crédito: ANACOM

"A evolução dos preços das Telecomunicações", cabeçalho do relatório divulgado pela ANACOM, dá conta das variações das mensalidades nos serviços e ofertas avaliadas. O destaque positivo vai para a NOWO, operadora mais barata.

Por outro lado, a MEO, NOS e Vodafone têm mensalidades mais baixas para dois tipos de ofertas, mas no que diz respeito ao acesso à Internet, é a NOWO quem pratica os melhores preços. A mensalidade de 20 euros é a mais baixa nesta oferta, sendo 20% mais acessível que a dos restantes prestadores de serviços.

Por fim, a ANACOM volta a apontar o dedo ao aumento concertado da mensalidade nos pacotes 3P. Aqui, tanto a MEO como a NOS e Vodafone aumentaram os preços em 3,3% entre os meses de outubro e novembro de 2020.

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. É na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e na 4gnews a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.