Sony Xperia Z5Apesar da sua quota de mercado de smartphones ser bastante magra e de estar a enfrentar alguns percalços para voltar aos lucros, a Sony Mobile está “de pedra e cal” no mundo dos dispositivos móveis e luta por voltar ao topo deste mercado tão competitivo.

Para terem uma ideia da atual situação financeira da Sony Mobile, no final do primeiro trimestre fiscal, um período que terminou em 30 de junho de 2015, a Sony Mobile deparava-se com um prejuízo líquido de 188 milhões de dólares, ao passo que as receitas tinham diminuído em cerca de 16,3% devido a uma forte quebra nas vendas de smartphones, entre outros problemas. Perante este cenário fiscal tão cinzento é normal que a Sony tenha ponderado vender o seu ramo de smartphones, tal como fez com a linha Vaio.

Logo que estes rumores da possível desistência da Sony do mercado mobile atingiram a blogosfera, propagaram-se sem controlo como um incêndio florestal bem regado com gasolina. Este burburinho atingiu tamanhas dimensões que o próprio CEO do ramo Mobile da Sony, Hiroki Totoki, veio a público afirmar que a Sony nunca iria desistir deste mercado. Isto veio acalmar muitos fãs da marca mas mesmo assim os rumores persistiam.

   

A Sony Mobile está empenhada em conquistar o mercado dos dispositivos móveis, esta nova fábrica é prova disso mesmo!

Xperia-Z5-SO-01H_1-640x599
Sony Xperia Z5

Pois bem, pode ser desta que os rumores terminem, agora que a Sony abriu uma fábrica destinada totalmente à produção de smartphones, a primeira infraestrutura deste género a ser inaugurada em 20 anos!

Esta fábrica está a ser construída em Pathum, uma província da Tailândia e representa um investimento de “vários biliões de yen”, de acordo com a fonte (Asian Review). Começará a operar já em 2016 com uma produção estimada de vários milhões de dispositivos móveis por ano.

A última vez que a Sony construiu uma fábrica destinada à produção de dispositivos móveis foi em 1995, na capital chinesa. Esta nova fábrica na Tailândia representa não só a forte posição que detém naquele país como um forte sinal de que pretende reforçar a sua posição no mercado mobile, especialmente agora que uma das suas principais concorrentes, a HTC, está a enfrentar um período bastante negativo a que pretende por fim com o novo HTC One A9, um equipamento de gama média-alta bastante atraente.

Pessoalmente, espero que a Sony não descure também o investimento no marketing, na publicidade, que mostre ao público as potencialidades dos seus equipamentos, até porque grande parte do sucesso de um produto depende da opinião geral do público. Mais do que especificações é preciso saber vender um produto, conquistar tanto a comunidade tecnológica como o resto do público e nisso a Sony não tem investido tanto quanto a Samsung ou a LG.