35 jogadores profissionais de CS:GO banidos por violação do código anti-corrupção

Abílio Rodrigues
Comentar

A ESIC (Comissão para a Integridade dos eSports) anunciou ter banido 35 jogadores profissionais de Counter-Strike: Global Offensive por violação do seu código anti-corrupção. Os profissionais em questão são acusados de ofensas relacionadas com apostas, tendência que se tem mostrado cada vez mais comum entre a comunidade.

Muitos dos jogadores agora banidos são mesmo reincidentes neste tipo de comportamentos e enfrentam sanções que podem ir até aos 5 anos.

CS:GO tem tido vários problemas com apostas

ESIC issues sanctions against 35 players for betting related offences & extends bans for 2 players previously sanctioned in October 2020. ESIC will continue to investigate further offences in Australia, NA and Europe in cooperation with law enforcement.(1/2) pic.twitter.com/KgVudv0d9t

— ESIC (@ESIC_Official) 22 de janeiro de 2021

Os 35 jogadores dividem-se pelas várias zonas do globo, com representantes da Europa, Austrália e América do Norte. A acusação da ESIC indica que os indivíduos apostaram em jogos onde estavam envolvidos membros da comissão, seja a favor ou contra determinados jogadores.

A entidade prevê 5 níveis distintos de sanções, dependendo do tipo de atividade considerada imprópria.

Apostar dentro da ESIC dá direito a um ano sem poder participar nas atividades sancionadas pela comissão. Apostar contra uma equipa durante 10 ou mais jogos implica a pena mais pesada de 5 anos sem poder competir.

Os jogadores Akram ‘ADK’ Smida e Darly ‘Mayker’ May são reincidentes neste tipo de violação do código anti-corrupção e viram as suas penas duplicadas.

Em relação aos restantes, as penas aplicadas são, na grande maioria, de um ano de suspensão de todas as atividades relacionadas com o jogo.

Mão pesada da ESIC para jogadores que apostam em Counter-Strike: Global Offensive

Matthew ‘Jam’ Castro, Alvin ‘Gravinz’ Changgra e Wilson ‘willyKS’ Sugianto são os mais penalizados pela mão pesada da ESIC, cada um deles com uma suspensão de 5 anos válida para todos os eventos da ESIC ou com a associação da comissão.

Apesar destes castigos estarem relacionados com apostas a ESIC não coloca de parte a possibilidade de uma investigação mais aprofundada poder revelar casos de viciação de resultados.

O jogo multiplayer tem sido assolado por vários casos deste género, com a agravante de terem já sido detetados vários casos de manipulação de resultados para potenciar os lucros de alguns jogadores profissionais.

O jogo continua a ser dos mais populares da cena de eSports mas a sua credibilidade tem sido afetada por estas questões. Isto reflete-se, por exemplo, nos números de visualizações em plataformas como a Twitch que têm vindo a cair de forma significativa.

Editores 4gnews recomendam:

Abílio Rodrigues
Abílio Rodrigues
Apaixonado por tecnologia desde que montou o seu primeiro computador, continua em fase lua-de-mel com tudo o que envolva um processador e permita umas sessões videolúdicas.