YouTube vai permitir compra de espaço publicitário para campanhas políticas

António Guimarães
Comentar

De acordo com o Wall Street Journal, o YouTube vai permitir a políticos acesso ao Instant Reserve, do Google Ads. Esta ferramenta permite aos anunciantes comprar e reservar espaço publicitário em avanço. Neste caso, será possível reservar campanhas políticas para as eleições.

O Instant Reserve estará disponível a partir de 15 de novembro, para empresas ou equipas de campanhas políticas que queiram usufruir de espaço publicitário na plataforma. Considerando que o YouTube é o site de vídeos mais popular do planeta, o potencial para os anunciantes é enorme.

A antecipação na criação de anúncios de campanhas políticas pode ser fulcral para o espectro político de vários países, como os EUA. Estados como Ohio e Carolina do Sul possuem um sistema onde os cidadãos podem votar mais cedo, relativamente a outros estados.

fdvdv

YouTube pretende concorrer com o Facebook em anúncios políticos

O WSJ avança que durante as eleições americanas de 2016, Hillary Clinton e Donald Trump gastarm cerca de 21.8 milhões de dólares em publicidades nas plataformas da Google. Contudo, os gastos em anúncios de Facebook chegaram aos 43 milhões de dólares, excedendo o investimento feito na Google.

Assim sendo, esta ferramenta é um incentivo para que campanhas políticas deem prioridade ao YouTube nos seus anúncios. Antes das votações intermediárias de 2018, a Google partilhou supostamente com os seus maiores compradores grupos de utilizadores de YouTube com mais potencial de voto, de acordo com os candidatos e baseando-se nos interesses.

Assim sendo, parece que o YouTube vai ter um papel bastante importante nas eleições americanas, em 2020. Esta notícia pode certamente desagradar a utilizadores que consumem conteúdo no YouTube para entretenimento, não querendo política envolvida na sua plataforma favorita para vídeos.

Como seria em Portugal?

O YouTube não especificou quais são os países onde o Instant Reserve estará disponível mas é provável que para já sejas apenas nos Estados Unidos. No entanto, esta ferramenta poderia ser útil nas campanhas políticas em Portugal.

Recentemente, o nosso país passou pelo período de eleições. Caso os partidos tivessem acesso a ferramentas de publicidade na internet no Facebook ou no YouTube, será que a atitude dos eleitores mudaria? Caso visses anúncios de política no teu feed de Facebook ou YouTube estarias mais motivado a votar ou pesquisar sobre política? Deixa a tua opinião nos comentários.

Editores 4gnews recomendam:

Comentar
António Guimarães
António Guimarães
Juntamente com os seus atuais companheiros Mi A2 e Surface Go, batalha para elucidar as massas sobre todos os acontecimentos da esfera tecnológica. "Informação é poder" é a frase que o acompanha diariamente. Talvez um dia a coloque numa t-shirt.