Realme só lançará smartphones 5G na China em 2020! Europa será a próxima?

Carlos Oliveira
Comentar

Através da rede social chinesa Weibo, o CEO da Realme fez um anúncio bastante curioso. O executivo afirmou que no próximo ano a subsidiária da Oppo só lançará smartphones 5G no seu mercado caseiro.

Realme

Este anúncio revela que mesmo os modelos de gama baixa da Realme, para o próximo ano, serão compatíveis com 5G. A estratégia da empresa, tal como refere o seu CEO, é popularizar estes modelos junto dos mais jovens torná-los mais acessíveis.

Em 2020, a empresa não lançará nenhum smartphone compatível com redes 4G na China. Isto poderá ser uma "dor de cabeça" para as operadoras locais caso as suas redes 5G ainda não estejam preparadas para tanta procura. Ainda assim, importa notar que a Realme ainda é uma marca pequena na China.

Poderá a Realme adotar a mesma estratégia na Europa?

Sinceramente parece-me pouco provável, pelo menos em 2020.. Embora o velho continente se tenha revelado um mercado importante para a Realme, ainda não está devidamente preparado para o futuro das redes móveis.

Uma coisa é equipar um país com este novo tipo de redes. Outra coisa é fazê-lo num continente inteiro. Portugal é apenas um exemplo de como ainda há um longo caminho a percorrer para que o 5G se torne a norma.

Perante este cenário, o provável é que a Realme desenvolva variantes sem 5G para comercializar fora da China. Desse modo, os seus equipamentos continuarão a servir aqueles que ainda não estão preparados para esse futuro, inibindo-os de gastar dinheiro em algo que não irão usufruir totalmente.

Realme quer tornar-se independente e quer dar o exemplo

A Realme te crescido de forma impressionante e isso terá lhe dado a vontade de se querer tornar totalmente independente. Notícias recentes dão conta dos planos da marca para se separar totalmente da Oppo e ter controlo absoluto sobre o seu futuro.

Esta decisão de comercializar apenas equipamentos compatíveis com 5G poderá ser um prenúncio do que será o futuro da empresa a solo. Uma decisão de coragem e que deveria servir de exemplo para as suas concorrentes por forma a acelerar a implementação destas redes a nível mundial.

Editores 4gnews recomendam:

Comentar
Carlos Oliveira
Carlos Oliveira
Tendo já passado por várias casas, a 4gnews é aquela que me segura desde 2015. Com um desejo insaciável de me manter atualizado tecnologicamente, a partilha desse conhecimento é apenas o seguimento natural das coisas.