10 sinais que indicam se o teu telemóvel está a ser espiado

Pedro Ferreira

Com a vasta gama de aplicações e ataques que são conhecidos, é importante saber se o nosso equipamento está a ser espiado ou não. É necessário tomar medidas de segurança, proteger os nossos dados pessoais e a nossa privacidade.

Existem sinais por vezes ignorados, para percebermos se o telemóvel poderá estar sobre espionagem ou infetado com algum malware. Prejudica o desempenho, e mais grave, poderá utilizar os nossos dados de forma ilegal e possível venda para entidades desconhecidas.

1. Presença de aplicações não desejadas

malware smartphone

Habituamo-nos à disposição das aplicações e atalhos do nosso telemóvel e temos aplicações que são mais utilizadas que outras. Por isso, é normal que ignoremos as restantes não tão utilizadas.

Devemos ter atenção para a presença de um novo aplicativo que não tenha sido instalado por nós.

2. Drenagem da bateria

Poderá ser um indicador de utilização em segundo plano. O aplicativo infetado age de forma invisível e a deteção poderá ser feita quando analisamos o desgaste da nossa bateria. Existe uma perda enorme num espaço de tempo em que o telemóvel não foi usado, ou então, o descarregamento não tem sido uniforme e sofre perdas anormais.

3. Textos e Pop-ups estranhas

popups spam

Quem nunca recebeu uma SMS estranha, um pop-up incomum e simplesmente ignorou? Este é um dos sinais mais óbvios que poderemos ter o nosso telemóvel infetado. Claro que a receção de um SMS estranho implique que estejamos a ser atacados, mas não podemos ignorar.

O caso mais óbvio, são as pop-ups intrusivas enquanto utilizamos o telemóvel, sem que estejamos a usar o navegador de Internet. Nesse caso deveremos logo tomar cuidados e perceber a origem do problema.

4. Consumo de dados móveis acima do normal

Ao estarmos infetados, o hacker envia remotamente as informações monitorizadas para o seu computador. Para isso necessita de uma ligação à Internet e uma anormalidade na utilização dos nossos dados móveis poderá um sinal de que algo não está bem.

Mantêm-te informado e esporadicamente procura saber a utilização geral dos teus dados móveis. Poderás facilmente aceder a essa informação a partir das definições.

5. Mau funcionamento do equipamento

Os novos equipamentos e flagships são equipados com hardware e software muito poderosos. Hoje em dia qualquer telemóvel consegue executar várias funções em simultâneo sem que notemos um travamento ou atraso na resposta do equipamento.

Caso seja notada uma repentina quebra no bom funcionamento do telemóvel devemos tentar perceber a razão e suspeitar de um possível controle e monitorização do equipamento.

6. Sobreaquecimento do dispositivo

O sobreaquecimento pode dar-se por diversas razões. O invasor poderá estar a aceder à nossa localização e isso implica que funcionamento do GPS sobreaqueça o equipamento. Quando o telemóvel está parado, sem utilização, nem atualizações a correr em segundo plano e percebemos que o equipamento está excessivamente quente, sem razão aparente.

Claro que com a capa protetora é mais difícil perceber a temperatura do telemóvel, mas será um dos indicadores mais alarmantes. Não é normal um dispositivo aquecer sem ser utilizado.

7. Ruído anormal em chamada

No passado, as linhas sofriam muitas interferências e ruídos de fundo, hoje em dia o sinal é mais forte e as ligações são mais estáveis. Logo não é normal ouvirmos sons estáticos, vozes sobrepostas ou até ruídos estranhos.

Não fácil de ser detetado, basta estarmos junto a um micro-ondas, um router ou qualquer outro equipamento que seja composto por campos eletromagnéticos e podemos notar alguma interferência.

malware smartphone

8. Dispositivo encerra/reinicia sem aviso prévio

Não é normal um equipamento desligar sem aviso, poderá até ser um problema de software ou hardware, mas é um dos indícios que mostra um possível ataque ao equipamento. Mais estranho será se o dispositivo se mantiver desligado por largos minutos, sem que o consigamos ligar.

9. Equipamento demora muito a desligar

Tal como um computador, quando é dada a instrução para desligar, os processos ativos são encerrados e desligados por definitivo. Acontece o mesmo nos telemóveis, e quando o processo de encerramento demora mais que o habitual, significa que existem processos a decorrer.

Caso seja normal o dispositivo levar algum tempo a desligar, não é motivo para alerta. Caso seja incomum demorar, poderá ser um processo de transmissão de dados do software espião.

10. Histórico navegador

Atividade anormal, websites não procurados e encontrados no nosso histórico, podem indicar que o nosso equipamento poderá estar infetado. Alguém poderá ter aberto um link que incluía a aplicação infetada e caso encontremos a origem será bem mais fácil proceder à sua remoção.

Dicas para removeres o aplicativo espião

Dicas para removeres a app espiã

Redefinir o dispositivo (Factory Reset)

É a maneira mais fácil e rápida de nos livrarmos de todas as aplicações e conteúdos indesejados do nosso equipamento. Basta ir às configurações e redefinir as configurações de fábrica do dispositivo. Alertamos que optando por este método todo o conteúdo do dispositivo desaparecerá. Pode ser feita em iOS e Android.

Atualizar o equipamento

Poderá ser um solução, isto porque com a atualização, o aplicativo de espionagem não será compatível com a nova versão e o sistema caso reconheça o software, procederá à remoção. Para além disso, a nova atualização corrigirá erros e implementará melhorias para o utilizador.

Excluir manualmente o aplicativo espião

É uma opção mais difícil, trabalhosa, mas possível. Nas definições do nosso dispositivo conseguimos encontrar todas as aplicações instaladas, remove-las e proceder a alterações.

Por vezes, o aplicativo espião, fica camuflado e poderá ter um outro nome. Deveremos ter muita atenção à lista de aplicativos e perceber qual a funcionalidade de cada um.

Obter um anti-vírus

Hoje em dia, inúmeras ferramentas são fornecidas para os nossos equipamentos, deveremos ter o aplicativo instalado e proceder a uma verificação avançada de ameaças. Estas aplicações podem ser facilmente encontradas nas stores oficiais dos dispositivos.

Alteração das palavras-passe

Devemos alterar as nossas senhas de maneira oportuna, ou seja, ocasionalmente a alteração deverá ser feita para prevenir perdas de dados pessoais. Além disso, devemos definir as senhas em prol da sua importância, assim caso uma das contas seja comprometida, não afetará as restantes.

Não instalar aplicativos de fontes desconhecidas

Hoje em dia, existem muitas alternativas às stores oficiais do equipamento, mas deveremos ter atenção quando instalamos uma aplicação de uma fonte desconhecida. Não sabemos se o aplicativo é fiável e poderá estar infetado.

Nas fontes externas não existe verificação de ameaças do aplicativo.

Atenção às permissões da app

Normalmente, quando instalamos uma nova aplicação, somos notificados que é necessário dar acesso a certas funcionalidades e serviços. Não deveremos aceitar, sem ler, ou perceber porque razão o aplicativo necessita de tal permissão.

Após seguires este tutorial, saberás se o teu telemóvel está a ser espionado ou está infetado. Dessa forma, sabes quais as medidas a tomar, futura prevenção e os respetivos cuidados para removeres os aplicativos infeciosos.

Caso pretendas algum aplicativo de mensagens seguro e com acesso restrito, poderás utilizar o Telegram, Wickr ou Signal. Existem mais aplicações, mas estes são os mais conhecidos.

Pedro Ferreira
Pedro Ferreira
O amor pela tecnologia e gaming surgiu quando recebeu o primeiro computador em 2001. Concluiu o curso Tecnológico de Informática e ingressou na Worten com a especialidade de Áudio e Imagem, HI-FI. Gosto que se desenvolveu em conjunto com a tecnologia e que perdura até aos dias de hoje!